Pular para o conteúdo principal

Postagens

OS ABSURDOS DAS MUDANÇAS NO EMPREGO E NA PREVIDÊNCIA

Postagens recentes

COM RAPIDEZ SURPREENDENTE, TRF-4 MARCA JULGAMENTO DE LULA NO CASO DO TRIPLEX

O ADVOGADO CRISTIANO ZANIN REPRESENTA LULA NA QUEDA DE BRAÇO CONTRA A JUSTIÇA SELETIVA QUE QUER BANIR O PRESIDENTE DE CONCORRER EM 2018.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, de Porto Alegre, como que num disparo, marcou imediatamente a data do julgamento do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, o dia 24 de janeiro de 2018.

O TRF-4 avalia o recurso movido pelo ex-presidente, através de seu advogado de defesa, Cristiano Zanin Martins, contra a condenação do juiz Sérgio Moro em primeira instância.

Moro condenou Lula a nove anos e meio de prisão em regime aberto, no caso do triplex do Guarujá, um factoide nunca devidamente explicado pela Lava Jato que foi feito para desmoralizar Lula.

O midiático juiz acusa Lula de ocultar a propriedade, recebida como propina da empreiteira OAS em troca de favores na Petrobras.

É a principal de outras acusações, vagas e sem provas, contra o ex-presidente.

A ação do TRF-4 surpreendeu pela rapidez com que age contra um petista, enquanto costuma ser …

A PRESSÃO CONTRA LULA CONTINUA

Enquanto a grande imprensa parece alheia aos impactos que podem causar a revelação de Rodrigo Tacla Duran sobre os bastidores da Lava Jato, a luta continua contra o ex-presidente Lula.

Vendo que Lula será o político a reverter com firmeza os retrocessos do governo Michel Temer e devolver direitos e garantias sociais para as classes populares.

Isso causa pavor nas elites. Daí que elas partem para tudo, até mesmo burlar as leis.

A grande mídia está investindo em fake news e o Jornal Nacional e o Jornal da Band estão reportando os "felizes tempos da volta do emprego e da estabilidade econômica".

A realidade mostra o contrário. Há mais moradores de rua. Há mais gente nos bancos reforçando a poupança. Há mais assaltos. Há mais desespero. Há mais cortes de gastos familiares.

É verdade que os preços de vários produtos, como o leite, deram uma aliviada, mas isso é muito pouco.

A grande mídia parece reviver os tempos do milagre econômico do governo do general Emílio Médici, vendendo…

NA ERA DOS ALGORITMOS, O QUE É MESMO O FOLCLORE BRASILEIRO?

Lendo os livros de Jessé Souza, a partir de A Tolice da Inteligência Brasileira, temos subsídios para entender até mesmo o problema do "popular demais" de hoje.

O aspecto perverso do "culturalismo" e da ilusão de "cordialidade" e "conciliação de classes", herdada de mitos trazidos, via Ciências Sociais, por Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Hollanda, permite vermos o problema de forma realmente não-preconceituosa.

Afinal, preconceito não é necessariamente aceitar tudo. Tínhamos, durante muito tempo, uma visão muito preconceituosa do que seria "ruptura do preconceito".

O "popular demais" passou a ser aceito pela classe média e pelas elites, e entrou de vez nas rodas universitárias.

Falou-se muito de suas "vantagens", da utopia de reunir apelo comercial com hiperconectividade, provocatividade e grande alcance público.

Sem falar que o "mau gosto" virou uma causa falsamente libertária.

Só que isso não resol…

A PROFESSORA APOSENTADA E SEU GESTO EXTREMO NO PAÍS DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

No contexto do Brasil temeroso de hoje, os cariocas só passaram a reconhecer a decadência do Estado do Rio de Janeiro e sua capital quando a grande imprensa noticiou.

Leia-se "grande imprensa" a dupla RJ TV / Jornal Nacional, o jornal O Globo e, só para forjar alguma "diversidade" midiática, o jornal O Dia (nos casos mais rasteiros, a Meia Hora).

Ou o Extra e o Expresso, só para citar outros veículos "globais".

Salvo exceções, os cariocas não o tomaram essa posição por desinformação, mas por vaidade.

Isso porque, infelizmente, boa parte dos cariocas sucumbiu a uma combinação de provincianismo e ao narcisismo.

Essa combinação que gera um habito estranho de "pragmatismo à carioca", que é a mania de aceitar o básico e se contentar com pouco.

É aquele papo furado: "não é aquela maravilha, mas está bom demais". O que revela uma contradição, diga-se de passagem.

É essa ilusão narcisista e "pragmática" que faz boa parte dos carioca…

PERDEMOS O MESTRE LUIZ CARLOS MACIEL

Perdemos hoje o grande mestre Luiz Carlos Maciel, com quem tive o prazer de, em 2001, entrevistar via e-mail.

Tardiamente soube que poderia ter ido a uma de suas últimas palestras, em abril de 2009.

Mas o contato por e-mail foi bastante modesto.

Minha pauta de entrevistas não refletia a riqueza de sua trajetória e fiz algumas perguntas básicas, introdutórias.

A entrevista era para o portal Rocknet, de Luiz Antônio Mello e da equipe da ACTECH, no qual eu tive uma coluna, "Pelos Porões do Rock".

Era como se eu fizesse um "Luiz Carlos Maciel para principiantes".

Mesmo assim, saiu legal e a entrevista eu publiquei no meu livro PELAS ENTRANHAS DA CULTURA ROCK, de 2014.

Maciel havia sido, até hoje, um dos remanescentes de uma geração muito boa de intelectuais e jornalistas.

Conviveu com jornalistas diversos, era de uma geração que teve Sérgio Porto, Millôr Fernandes, Glauber Rocha, ou mesmo Paulo Francis, um tanto reacionário mas de inteligência admirável.

É uma pena es…

INTELECTUAIS SE MANIFESTAM PELO ESTADO DE DIREITO E PELA UNIVERSIDADE PÚBLICA

AS UNIVERSIDADES FEDERAIS DE MINAS GERAIS E SANTA CATARINA FORAM OS PRINCIPAIS ALVOS DA TRUCULÊNCIA JURÍDICA DA POLÍCIA FEDERAL.

O abuso de poder mediante inquéritos sobre supostos esquemas de corrupção nas universidades públicas é chocante, principalmente nas ações da Polícia Federal voltadas à condução coercitiva de acusados, que, além de não terem necessidade desse aparato agressivo, têm direito de serem convocados pacificamente e de acordo com o direito constitucional de ampla defesa.

A espetacularização e o valentonismo que humilham acusados que, numa situação democrática, apenas seriam convocados a depor, dentro de um limite de horário para comparecimento e sem a violência policial, causam revolta sobretudo por causa dessa catarse moralista e reacionária que domina o país nos últimos dois anos.

Sob a desculpa de "mostrar serviço", "agir com celeridade" e "combater a impunidade", verdadeiros atentado às leis e aos direitos humanos são cometidos, com …