Pular para o conteúdo principal

89 FM E RÁDIO CIDADE "ENROLAM" COM MAIS UMA BANDA DE ROCK MEDIANO


Enquanto há quem exagere nos elogios às rádios 89 FM (SP) e Rádio Cidade (RJ), como se as duas emissoras, mesmo com seus locutores abobalhados de dicção insuportável, fossem rádios de rock a serem levadas a sério, o que se observa é uma grande enganação.

A 89 FM "voltou" ao rock em dezembro de 2012 e a Rádio Cidade, em março deste ano. Passados muitos meses, as duas rádios até agora não criaram uma cena roqueira que prestasse, e a primeira "grande banda" que lançaram não é grande coisa nem elas propriamente lançaram, que é o Malta, que foi lançada por um reality show musical da Rede Globo.

Agora é a vez do "vigoroso rock", de tendência "alternativa" (?!?!) ou "hardcore" (?!?!?!?!?!?!?!) da banda Aliados, um dos queridinhos do programa "Temos Vagas", apresentado pelo "dinossauro do emo", Tatola Godas, da 89 FM, que contou com a ajuda do ator Caio Castro, aquele cara que não gosta de fazer teatro nem de ler livros.

Enquanto as pessoas ficam de braços cruzados esperando Renato Russo surgir das cinzas e reaparecer em qualquer uma dessas rádios medíocres, anunciando a "nova Legião Urbana" a surgir nessas "maravilhosas rádios rock", vamos mostrar um pouco da letra de "No Seu Coração", a referida música dos Aliados, para entender o que diz essa "nova geração do rock".

Uma letra que está mais para Luan Santana do que para Renato Russo, diga-se de passagem.

No Seu Coração 

Aliados

Pára, pensa
Onde está seu verdadeiro amor
E se não for ele então esqueça
Nada deve ter tanto valor
Enquanto não houver o verdadeiro amor
Que a gente encontrou

Você me quer e eu te quero também
Mas o medo de errar nos afasta
Fechar os olhos não adianta eu sei
Então saiba que eu vou estar sempre ali
No seu coração

E que os outros vão dizer
Eu não sei, não me importa
E o que os outros vão pensar
Eu não vou me preocupar
Esquece o mundo e lembra de mim
Não faça o que você não está afim

Você me quer e eu te quero também
Mas o medo de errar nos afasta
Fechar os olhos não adianta eu sei
Então saiba que eu vou estar sempre ali
No seu coração

Pára, pensa
Você me quer e eu te quero também
Mas o medo de errar nos afasta
Fechar os olhos não adianta eu sei
Então saiba que eu vou estar sempre ali
No seu coração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESTUPRO COLETIVO DERRUBA MITO DA "LIBERDADE DO CORPO"

O vergonhoso caso do estupro coletivo desmascarou uma situação que a intelectualidade "bacana" sempre abafou com falso relativismo.

O mito da "liberdade do corpo" num país do combate ao assédio abusivo.

O terrível caso ocorreu num bairro popular, na região de Jacarepaguá.

33 homens afoitos cercando uma moça de 16 anos, dopando a menina, depois a estuprando sob o registro da câmera do celular e depois publicando na Internet.

Um episódio de pura truculência, mas condicionado pela ilusão de liberdade sexual que a intelectualidade "bacana", que apostava num Brasil brega, queria para as classes pobres.

Mesmo mulheres aparentemente ativistas, dentro dessa intelectualidade, davam dois pesos e duas medidas.

Elas reclamavam contra a imagem caricatural que as mulheres, de classe média, recebiam dos comerciais de TV.

Mas consentiam que a mesma imagem fosse impunemente abordada sob o rótulo do "popular".

Reclamavam quando a imagem da mulher de classe média…

GOVERNO TEMER E A REVOLTA DOS UMBIGOS

A "revolta dos umbigos" que surgiu nas mídias sociais achou que tinha o poder pleno nas mãos.

Lutaram para ter Michel Temer no lugar de Dilma Rousseff para realizar uma agenda mais conservadora para o Brasil.

Essa agenda é um misto do programa eleitoral derrotado de Aécio Neves em 2014 com as "pautas-bombas" do então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Primeiro, os "revoltados" na Internet se escondiam nas mídias sociais, se limitavam a trolar assuntos culturais ou coisa próxima e fingiam serem progressistas.

Depois, deixaram a máscara cair e iniciaram uma campanha para derrubar Dilma Rousseff.

Conseguiram o que fizeram, pois faziam parte de uma "frente ampla" às avessas, que clamavam por retrocessos políticos sob a desculpa do "combate à corrupção".

Estavam junto dos empresários em geral e, em parte, os que controlam a grande mídia.

Foram animadores juvenis de uma campanha que ludibriou a sociedade inteira, que passou …

CRIMINALIZAÇÃO DO "FUNK" É UMA PROPAGANDA ÀS AVESSAS

Um abaixo-assinado na página do Senado atingiu, anteontem, a marca de 20 mil assinaturas, diante de uma causa bastante controversa, a de criminalização do "funk".

A proposta é de autoria do empresário paulista Marcelo Alonso, que se declara pai de família e afirma estar tentando "salvar a juventude".

Deu um tiro no pé, porque a proposta acabou estimulando mais o natural coitadismo do "funk", tido como "vítima de preconceito".

A repressão policial transformou um ritmo musicalmente medíocre em "canção de protesto".

A presença de "bailes funk" em noticiários policiais transformou os ricos empresários-DJs, ávidos por dinheiro, em supostos ativistas culturais.

A criminalização transformou medíocres MCs de vozes esganiçadas em pretensos militantes.

Da mesma forma, a criminalização do "funk" fez um mero ritmo dançante e comercial virar, durante anos, um pretenso paradigma de folclore popular.

Enquanto rolava o discurso de…