ATÉ QUANDO A ESTUPIDEZ DA TROLAGEM E DO RACISMO VÃO ACABAR?

A BELA E SUPERTALENTOSA CRIS VIANNA FOI VÍTIMA DE OFENSAS NAS MÍDIAS SOCIAIS. 

A gente fica perguntando até que ponto esses trogloditas digitais vão continuar azucrinando? Chega a ser estarrecedor a indiferença que eles têm a tudo. Os troleiros de Internet se acham os donos da verdade e pensam que não serão atingidos pelas consequências de seus atos.

Creio que não existe gente mais estúpida e burra do que os troleiros, forma aportuguesada do termo troll. São tão burros que não gostam de ser chamados como tais, acham que não precisam raciocinar porque "já nasceram inteligentes". Se acham tão espertos e no entanto cometem muitas gafes.

Sabe aquele troleiro que ficava zoando porque um internauta se revelou um "encalhado" na vida amorosa? O troleiro zoou dele chamando-o de "virgem" ou coisa parecida, não é mesmo? Pois esse mesmo troleiro pode ter brochado numa transa sexual, ou levado um fora de uma garota, e quer descontar naquele que está solteiro mais tempo.

Desde que eu mesmo fui vítima de atos de trolagem, uma dentro da comunidade "Eu Odeio Acordar Cedo" do Orkut e outra vinda de busólogos frustrados que apoiavam o grupo político de Eduardo Paes, pude perceber as asneiras que esses desordeiros que não têm o que fazer cometem.

ALGUNS COMENTÁRIOS OFENSIVOS CONTRA CRIS VIANNA, REPRODUZIDOS DE O FUXICO. NO ENTANTO, POUCOS INTERNAUTAS TENTAM REAGIR CONTRA OS TROLEIROS.

É claro que os troleiros costumam ser "cães de guarda" do estabelecido. Acham que tudo que vira moda ou é novidade trazido pela mídia, pela política e pelo mercado são sempre "geniais" e os primeiros que contestam isso são alvo de humilhações que vão de comentários combinados por troleiros e seus seguidores até blogues ofensivos.

No que se diz aos comentários racistas, os troleiros já seguem valores elitistas e de qualquer tipo de preconceito de classe ou de etnia. E aqui se revela um primarismo sem nome, de uma brutalidade e uma idiotice sem tamanho.

MAIS COMENTÁRIOS RACISTAS.

A vítima dos comentários racistas agora é a também belíssima Cris Vianna, no ar em A Regra do Jogo. Não dá para entender tantas ofensas, afinal Cris é muito charmosa, competente no que faz, e seu penteado de cabelos cacheados é lindo. Cabelos cacheados são vistos pejorativamente como analogias a esponjas de limpeza, o que é injusto e terrivelmente depreciativo.

Os comentários ofensivos de uma trolagem surgem por iniciativa de dois ou três internautas. Na segunda das duas imagens, publicadas no portal O Fuxico, um dos internautas ofensivos chega a usar dois perfis. Certamente o número de ofensores é menor, mas antes mais gente aderiu na carona.

Até casos como os de Taís Araújo e Maria Júlia Coutinho, a Maju, se tornarem bem conhecidos, a trolagem era vista como uma "brincadeira". Geralmente defendendo valores do "estabelecido", podendo ser uma gíria da moda, um ídolo ou veículo de mídia favoritos ou uma medida decidida pelo mercado ou poder político, ou preconceitos sociais de elite, são uma minoria cuja aparente simpatia e senso de humor atraíram os chamados troleiros passivos.

Troleiro passivo é aquela pessoa que normalmente não costuma perder tempo com trolagem. É um internauta que parece admirável, sério e decente, mas que, movido pelo "carisma" de um troleiro, vai na carona e engrossa o coro dos humilhadores.

Com os escândalos que atingiram não só as três belas negras, como, em outros meios, a também admirável blogueira e ativista feminista Lola Aronovich, que, a exemplo de mim, chegou a ter um blogue ofensivo, os troleiros passivos recuam, ao saber que estes ainda sofrem mais perigo, porque podem ser marcados negativamente.

Afinal, os troleiros ativos somem de ação, quando recebem as punições devidas. Saem desmoralizados e simplesmente desaparecem, extremamente visados como encrenqueiros e vândalos digitais.

Já os troleiros passivos, que vão "na onda" dos líderes da trolagem por acreditar que estes são "muito divertidos", por estarem associados a atividades mais sóbrias, podem sentir a encrenca mais prolongada, devido à estranheza de seus amigos em ver que estes tiveram a covardia de participar de uma campanha ofensiva contra alguém.

Imagine uma moça de bem que, na boa-fé, foi participar de uma trolagem porque os membros de uma comunidade foram junto, e depois ela vê a bobagem que cometeu, sendo depois duramente criticada pelos amigos e sendo negativamente marcada pela ação solidária a um valentão que ela julgou ser apenas "legal e muito divertido".

Daí a diferença que se tem nas mensagens contra Maju e contra Cris, num espaço de cerca de cinco meses, mais ou menos. No caso de Maju, os troleiros ativos, líderes, tiveram maior adesão, pois os troleiros passivos foram na onda pela "diversão" que acreditavam viver. Já no de Cris Vianna, são poucos troleiros que tiveram que publicar mensagens em "quantidades industriais" para compensar a falta de apoio.

Com as denúncias e a revelação que uma trolagem pode ser denunciada pela polícia, os troleiros passivos, que não costumam sentir ódio da vítima mas participam das ofensas porque "seguem o líder", recuaram por ver que uma ficha criminal poderá comprometer seriamente seus futuros.

Os líderes das trolagens ainda vivem da arrogância e imprudência, e, apesar de perderem adeptos, continuam agindo, animados e felizes com suas atrocidades morais, sem perceber que seus leitores mais assíduos são delegados e agentes policiais. Uma audiência que não é muito "show de bola, brou".

Encerro este texto dando total apoio a Cris Vianna e que aqueles que a ofenderam sejam investigados e condenados criminalmente. Desejo boa sorte a Cris em sua carreira e em seu trabalho, e que ela possa ir em frente tranquila.

Comentários