MÍDIA AUMENTA SUA VIOLÊNCIA CONTRA LULA


Depois que pesquisas de intenção de voto reafirmaram o favoritismo da volta ao Planalto do ex-presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, a grande mídia resolveu partir para cima.

Globo, Isto É e Veja já falam em "fim do Lula", depois que a delação do ex-sócio da OAS, José Aldemário Pinheiro, o Léo Pinheiro, despejou um rumor de grave repercussão.

Ele teria dito que Lula era "dono" do triplex de Guarujá, e que outrora ele e sua esposa, Marisa Letícia, já falecida, queriam "passar o fim de ano" no referido apartamento.

Mas o mais grave é o rumor de uma suposta conversa que o empreiteiro alega ter tido com o ex-presidente.

Segundo Léo Pinheiro, no caso de haver um "encontro de contas" entre Lula e o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, ou seja, referentes a depósitos financeiros nas contas dos três no exterior, o ex-presidente supostamente teria aconselhado o empreiteiro a "destruir as provas".

Há muito o que se refletir sobre essa delação.

Léo Pinheiro, em primeiro momento, se recusou a incriminar o ex-presidente da República pelas acusações de corrupção e outras bem conhecidas.

Sob ameaça, teve, neste caso, seu pedido de delação premiada recusado pela "República de Curitiba".

Mas, como o empreiteiro quer aliviar sua pena, hoje sentenciada a vinte anos de prisão, ele resolveu "denunciar".

Muitos comparam a situação de Lula como a de Josef K no livro O Processo, de Franz Kafka, sobre um processo jurídico sem motivação criminal.

Já tivemos outro episódio kafkiano, há um ano, com Dilma R no lugar de Josef K.

Lula está a pouco mais de dez dias do famoso "julgamento", cara a cara, com o juiz Sérgio Moro.

O ex-presidente até foi educado, "elogiando" o trabalho do juiz paranaense.

Uma forma de diplomacia, pois se sabe que Moro virá com apetite de tigre e frieza de chumbo.

Enquanto as pesquisas apontam vitória de Lula em todas as hipóteses, a realidade mostra uma plutocracia pressionando para tirar o ex-presidente da corrida de 2018.

E a delação de Léo Pinheiro abafou as demais delações envolvendo políticos do PSDB, PMDB e afins.

E cada vez mais se fala na prisão de Lula.

Algo que não se pode ser subestimado, pois a grande mídia é aliada de um empresariado dotado de muito dinheiro e influência.

E Lula, para concorrer em 2018, ainda tem um sério problema.

Ele não pode mais repetir o sistema eclético e amplo de alianças das campanhas de 2002 e 2006, que causaram vários transtornos e prejuízos.

Seu bloco de alianças pode ser menor, para o bem e para o mal. Alianças mais "limpas", porém menores e menos influentes para a vitória eleitoral.

Mas, se depender da mídia gananciosa, Lula não precisará desse esforço.

A pressão midiática, que conta com generosas verbas do capital estrangeiro e de especuladores mundiais, quer porque quer ver Lula fora da corrida eleitoral.

E fazem isso para reduzir o Brasil a um mero quintal de Tio Sam.

Comentários