NÃO É MENTIRA: MICHEL TEMER DÁ ADEUS À CLT


Não é mentira: o presidente Michel Temer dá adeus à Consolidação das Leis Trabalhistas.

A um mês de completar 74 anos, a CLT não aguentou as pressões da plutocracia representada pelo temeroso presidente e praticamente teve morte cerebral anunciada.

Diante dessas pressões, que forçam a realização de toda medida de interesse de Temer e asseclas, o resto da reforma trabalhista e a reforma previdenciária estão a caminho.

Mas a CLT praticamente morreu com o sancionamento da terceirização total.

Agora até atividades-fim podem ser terceirizadas.

Profissões como médico e professor também podem ser rebaixadas a "bico".

Serão trabalhos assalariados nivelados agora ao emprego informal.

A terceirização já foi anunciada no Diário Oficial ontem e passou a vigorar desde então.

Se hoje é o Dia da Mentira, é Temer que vem com a sua.

"A terceirização vai aumentar empregos", é a desculpa dada pelo temeroso presidente.

A rotatividade, eufemismo para instabilidade no mercado de trabalho, é que dará a falsa impressão de que mais pessoas serão empregadas.

Ora. Algumas pessoas serão empregadas, enquanto outras vão perder o emprego.

Os salários diminuirão, os encargos serão extintos, a carga horária vai aumentar e as proteções sociais serão perdidas.

O rendimento profissional vai cair, o que potencialmente faz do terceirizado sujeito à demissão logo quando conclui sua primeira semana de emprego.

Com isso, haverá mais acidentes, mas não haverá mais assistência pública de saúde, até porque o SUS, já problemático, será sucateado devido ao congelamento de gastos.

O acidentado deverá pagar um plano de saúde privada, pagando mensalidades não se sabe com que dinheiro.

As taxas dos planos de saúde incluem o "bolsa-granfino", para médicos de nome ficarem bem na foto nas festas de gala que aparecerão depois no Glamurama.

Outra coisa é que o trabalhador temporário tem que ser um mago das mil habilidades.

Isso porque, se ele cumprir o prazo de nove meses de emprego temporário, ele não poderá trabalhar na mesma área durante três meses.

Na lógica do governo plutocrático, dá para esperar 90 dias sem receber um salário.

Mas para quem cobra tarifas diversas, não dá para esperar sequer 30 dias para receber a grana do trabalhador.

O jeito é dar adeus à CLT e criar um álbum de recordações de suas conquistas.

Foi bom enquanto durou.

R. I. P. CLT 1943-2017.

Comentários