Pular para o conteúdo principal

NÃO É MENTIRA: MICHEL TEMER DÁ ADEUS À CLT


Não é mentira: o presidente Michel Temer dá adeus à Consolidação das Leis Trabalhistas.

A um mês de completar 74 anos, a CLT não aguentou as pressões da plutocracia representada pelo temeroso presidente e praticamente teve morte cerebral anunciada.

Diante dessas pressões, que forçam a realização de toda medida de interesse de Temer e asseclas, o resto da reforma trabalhista e a reforma previdenciária estão a caminho.

Mas a CLT praticamente morreu com o sancionamento da terceirização total.

Agora até atividades-fim podem ser terceirizadas.

Profissões como médico e professor também podem ser rebaixadas a "bico".

Serão trabalhos assalariados nivelados agora ao emprego informal.

A terceirização já foi anunciada no Diário Oficial ontem e passou a vigorar desde então.

Se hoje é o Dia da Mentira, é Temer que vem com a sua.

"A terceirização vai aumentar empregos", é a desculpa dada pelo temeroso presidente.

A rotatividade, eufemismo para instabilidade no mercado de trabalho, é que dará a falsa impressão de que mais pessoas serão empregadas.

Ora. Algumas pessoas serão empregadas, enquanto outras vão perder o emprego.

Os salários diminuirão, os encargos serão extintos, a carga horária vai aumentar e as proteções sociais serão perdidas.

O rendimento profissional vai cair, o que potencialmente faz do terceirizado sujeito à demissão logo quando conclui sua primeira semana de emprego.

Com isso, haverá mais acidentes, mas não haverá mais assistência pública de saúde, até porque o SUS, já problemático, será sucateado devido ao congelamento de gastos.

O acidentado deverá pagar um plano de saúde privada, pagando mensalidades não se sabe com que dinheiro.

As taxas dos planos de saúde incluem o "bolsa-granfino", para médicos de nome ficarem bem na foto nas festas de gala que aparecerão depois no Glamurama.

Outra coisa é que o trabalhador temporário tem que ser um mago das mil habilidades.

Isso porque, se ele cumprir o prazo de nove meses de emprego temporário, ele não poderá trabalhar na mesma área durante três meses.

Na lógica do governo plutocrático, dá para esperar 90 dias sem receber um salário.

Mas para quem cobra tarifas diversas, não dá para esperar sequer 30 dias para receber a grana do trabalhador.

O jeito é dar adeus à CLT e criar um álbum de recordações de suas conquistas.

Foi bom enquanto durou.

R. I. P. CLT 1943-2017.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESTUPRO COLETIVO DERRUBA MITO DA "LIBERDADE DO CORPO"

O vergonhoso caso do estupro coletivo desmascarou uma situação que a intelectualidade "bacana" sempre abafou com falso relativismo.

O mito da "liberdade do corpo" num país do combate ao assédio abusivo.

O terrível caso ocorreu num bairro popular, na região de Jacarepaguá.

33 homens afoitos cercando uma moça de 16 anos, dopando a menina, depois a estuprando sob o registro da câmera do celular e depois publicando na Internet.

Um episódio de pura truculência, mas condicionado pela ilusão de liberdade sexual que a intelectualidade "bacana", que apostava num Brasil brega, queria para as classes pobres.

Mesmo mulheres aparentemente ativistas, dentro dessa intelectualidade, davam dois pesos e duas medidas.

Elas reclamavam contra a imagem caricatural que as mulheres, de classe média, recebiam dos comerciais de TV.

Mas consentiam que a mesma imagem fosse impunemente abordada sob o rótulo do "popular".

Reclamavam quando a imagem da mulher de classe média…

GOVERNO TEMER E A REVOLTA DOS UMBIGOS

A "revolta dos umbigos" que surgiu nas mídias sociais achou que tinha o poder pleno nas mãos.

Lutaram para ter Michel Temer no lugar de Dilma Rousseff para realizar uma agenda mais conservadora para o Brasil.

Essa agenda é um misto do programa eleitoral derrotado de Aécio Neves em 2014 com as "pautas-bombas" do então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Primeiro, os "revoltados" na Internet se escondiam nas mídias sociais, se limitavam a trolar assuntos culturais ou coisa próxima e fingiam serem progressistas.

Depois, deixaram a máscara cair e iniciaram uma campanha para derrubar Dilma Rousseff.

Conseguiram o que fizeram, pois faziam parte de uma "frente ampla" às avessas, que clamavam por retrocessos políticos sob a desculpa do "combate à corrupção".

Estavam junto dos empresários em geral e, em parte, os que controlam a grande mídia.

Foram animadores juvenis de uma campanha que ludibriou a sociedade inteira, que passou …

CRIMINALIZAÇÃO DO "FUNK" É UMA PROPAGANDA ÀS AVESSAS

Um abaixo-assinado na página do Senado atingiu, anteontem, a marca de 20 mil assinaturas, diante de uma causa bastante controversa, a de criminalização do "funk".

A proposta é de autoria do empresário paulista Marcelo Alonso, que se declara pai de família e afirma estar tentando "salvar a juventude".

Deu um tiro no pé, porque a proposta acabou estimulando mais o natural coitadismo do "funk", tido como "vítima de preconceito".

A repressão policial transformou um ritmo musicalmente medíocre em "canção de protesto".

A presença de "bailes funk" em noticiários policiais transformou os ricos empresários-DJs, ávidos por dinheiro, em supostos ativistas culturais.

A criminalização transformou medíocres MCs de vozes esganiçadas em pretensos militantes.

Da mesma forma, a criminalização do "funk" fez um mero ritmo dançante e comercial virar, durante anos, um pretenso paradigma de folclore popular.

Enquanto rolava o discurso de…