O GOVERNO TEMER COMEÇA A TERMINAR?


Ontem a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Carmen Lúcia, homologou as 77 delações da Odebrecht sobre o esquema de corrupção alvo da Operação Lava Jato.

Nestas delações, entre as quais se destaca o depoimento de Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empreiteira, vários políticos ligados a Temer foram citados num impressionante número de vezes.

É certo que a delação premiada é um processo meio duvidoso.

Mas espera-se que, mesmo assim, sejam denunciados os políticos que cercam o atual governo.

Michel Temer é citado 43 vezes apenas em uma das delações.

Alguns de seus homens de confiança, como Romero Jucá, Wellington Moreira Franco, Geddel Vieira Lima, Eliseu Padilha e outros, também foram citados.

Dos tucanos, temos Geraldo Alckmin, Aécio Neves e o ministro de Temer, José Serra.

Não se garante que algo melhor possa vir se as delações derem o resultado esperado.

Da mesma forma que a prisão de Eike Batista, depois da de Sérgio Cabral Filho, são apenas episódios de uma crise que não acaba.

A crise de maio de 2016 para cá foi pior do que aquela que atingiu fatalmente o governo Dilma Rousseff.

Talvez pela primeira vez na História, pelo menos nos últimos 60 anos, um governo presidencial tenha passado o tempo todo sem esboçar um pingo de esperança.

Evidentemente, não sabemos o que vai acontecer com o Brasil.

Está tudo inseguro.

O que se pode supor é que o governo Temer esteja começando o seu fim, com prováveis chances de não chegar ao final de 2018.

Temer já está sendo investigado pelas irregularidades da campanha eleitoral, em que ele dividia a chapa com Dilma Rousseff, em 2014.

Daqui a dois dias, ao que parece, começarão a serem divulgadas oficialmente as delações.

É esperar para ver.

Comentários