BRASIL TEM CRISE VIOLENTA, EM TODOS OS SENTIDOS


A situação está caótica no Brasil temeroso.

Não houve um pingo de esperança, mas há uma enchente de escândalos, dramas, retrocessos, tragédias.

E depois da violência que estourou dentro dos presídios, agora é a violência que estourou fora, nas ruas.

Em Vitória, no Espírito Santo, a greve da PM por causa dos mesmos problemas trabalhistas de sempre, causou um caos.

A cidade, com policiamento, já conta com alto índice de violência. É uma das quatro com maior índice de violência contra a mulher e uma das que ocorrem mortes violentas de negros e pobres.

A situação é tão grave que o número de mortos ultrapassou 120, até a tarde de hoje.

As escolas pararam de funcionar, os ônibus chegaram a sair de circulação, as repartições pararam, só os hospitais é que têm que intensificar os trabalhos.

Na dúvida, as pessoas estão correndo para as lojas para estocar alimentos e evitar a saída de casa.

Há um mês, eram as facções criminosas nas cadeias que promoviam rebeliões e chacinas.

Hoje a criminalidade fez muitos mortos nas ruas da capital capixaba.

Enquanto isso, o ministro licenciado da Justiça, Alexandre de Moraes, foi se reunir com oito senadores solidários a Temer num... barco de luxo, conhecido como "barco do amor", oficialmente chamado chalana Champagne.

O barco é de um dos senadores, Wilder Morais, do PP, que se fantasiou de PM na festa dos riquinhos.

Para aqueles que adoram explodir de raiva ao ver a cara de Lula na televisão e estão tranquilos em ver o valentão Alexandre de Moraes cotado para o Supremo Tribunal Federal, um aviso.

Uma festinha dessas não é adequada para um sujeito destinado a um cargo importante no Judiciário, e ainda mais quando estoura a violência sangrenta em uma cidade.

O Brasil terá o maior órgão do Judiciário com uma das cadeiras ocupadas por um sujeito desses.

Um sujeito que só decidiu mandar tropas federais para os presídios depois da pressão da mídia, e ainda assim após muitas mortes.

E que, quando inocentes morrem nas ruas da capital capixaba, se diverte num barquinho onde o dono se fantasia de policial.

Alexandre de Moraes jura que foi "sabatina informal" e uma "conversa séria e respeitosa".

E ninguém faz coisa alguma para impedir sua entrada no STF.

E isso num país com um governo cheio de políticos corruptos, inclusive o presidente temeroso.

E o dia termina com Wellington Moreira Franco voltando a ser "ministro de secretaria", depois de duas liminares.

Mas, aparentemente, ele não contará com foro privilegiado. podendo ser julgado pela Justiça comum, assim que comprovar seu envolvimento na lista da Odebrecht.

Especialistas já falam que o Brasil corre risco de radicalização do estado de exceção.

A insegurança institucional e política só é ignorada pelos cidadãos "felizes", que só se irritam quando veem Dilma, Lula, José Dirceu e qualquer outro petista.

Mas quando se trata do governo Temer, até os piores escândalos não lhes causam a menor preocupação.

Triste isso.

Comentários