BIBLIOTECA NACIONAL CONFUNDE O DIA PARANAENSE COM O DIA CARIOCA


Está certo que Rio de Janeiro e Curitiba estão sendo mais parecidos hoje em dia.

Antigas "cidades-modelo" que vivem suas profundas e trágicas decadências sociais.

Antros de reacionarismo ideológico que, juntos, derrubaram Dilma Rousseff e botaram a plutocracia no poder.

O Rio de Janeiro elegeu Eduardo Cunha, que antes de ser politicamente defenestrado "degolou" a presidenta, e deixou como legado um projeto político mesclado com o projeto eleitoral de Aécio Neves, criando um engodo defendido pelo presidente Michel Temer.

A Curitiba é o quartel-general da Operação Lava-Jato, do juiz midiático Sérgio Moro e do procurador Deltan Dallagnol, dos eslaides de Power Point.

E também Curitiba e Rio de Janeiro se unem pelos terríveis ônibus padronizados, quando diferentes empresas de ônibus ostentam o mesmo visual, algo que se revelou decadente e sem funcionalidade.

A Curitiba de Jaime Lerner é o Rio de Janeiro de Alexandre Sansão, um cara que demonstra nunca ter passeado de ônibus pra valer na vida.

(Vamos ver se Fernando McDowell, que reprova os ônibus "padronizados", vai devolver o direito das empresas de mostrar a "própria cara").


Apesar das semelhanças, é estranho ver o acervo da Biblioteca Nacional, procurar por jornais cariocas, se animar com a presença do jornal O Dia (ver imagem acima) e depois se deparar com o jornal O Dia... de Curitiba (ver imagem abaixo).


Isso confunde o pesquisador que quer encontrar o acervo antigo de um dos jornais cariocas em circulação.

Seria uma curiosidade ver como era o jornal O Dia em tempos muito distantes do semi-popularesco periódico de hoje, que nem de longe preencheu as lacunas do Jornal do Brasil quando deixou a versão impressa (hoje só existe na Internet).

Mas aí o que temos é um jornal de Curitiba, que apenas coincide com o nome.

Está certo que Curitiba e Rio de Janeiro se uniram, com o carioca Eduardo Cunha eleito para a Câmara dos Deputados e escolhido presidente da casa, e o juiz paranaense Sérgio Moro se empenhando para pavimentar a volta da plutocracia ao poder.

Mas são cidades diferentes, por mais "irmãs" que fossem no seu período ao mesmo tempo de prepotência sócio-política e decadência sócio-cultural.

Espera-se que a Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional corrija o erro e coloque o jornal O Dia de Curitiba na lista de jornais do Paraná.

Pelo menos para facilitar a vida dos pesquisadores, para evitar levar um "zero" tomando um jornal curitibano como se fosse carioca.

Comentários