BIBLIOTECA NACIONAL SUCUMBE AO MOFO TÓXICO


Tirar algumas horas de leitura na Biblioteca Nacional, no centro do Rio de Janeiro, pode representar um sério dano à saúde. À falta de refrigeração adequada, devido à carência de verbas para manutenção do ar condicionado, fez com que a limitação da ventilação ambiente das janelas abertas, na estrutura do antigo edifício, permitisse a criação de mofo tóxico em seus recintos.

Existem tipos de mofo tóxico que provocam mal-estar, incluindo dor de cabeça, refluxo e vontade de vomitar e vários leitores da BN já alegaram terem sentido esses problemas, depois que entraram em suas salas de leitura para fazerem pesquisas.

A estrutura do prédio, bastante fechada e de baixo acesso de ventilação, não permite que o ar circule por todo o ambiente, o que faz com que se propicie o surgimento de fungos nas suas imediações, sem que muita gente perceba, a não ser depois de sofrer os sintomas descritos.

A crise na Biblioteca Nacional é notória, e houve até manifestações de protestos dos funcionários. A situação é séria e a falta de investimentos para o ar condicionado, além de prejudicar a preservação de seu acervo, pode causar sérios problemas de saúde nos seus leitores.

Lamentável o descaso das autoridades neste caso, já que a Biblioteca Nacional é uma das mais importantes instituições dedicadas à promoção da cultura através da leitura e da apreciação de seus bens culturais.

Comentários