ESCÂNDALO DE FOTOS NUAS E A VULGARIDADE BRASILEIRA

A ATRIZ JENNIFER LAWRENCE FOI UMA DAS VÍTIMAS DA DIVULGAÇÃO DE FOTOS ÍNTIMAS POR UM HACKER.

Um escândalo que pode envolver fotos de mais de 100 estrelas, entre atrizes, cantoras e outras famosas em evidência em Hollywood, pode fazer rever os valores a respeito da exploração da sensualidade feminina na Internet.

Tudo começou quando surgiu denúncia da divulgação de uma foto com a atriz da franquia Jogos Vorazes (Hunger Games), Jennifer Lawrence, nua, no portal de compartilhamento de fotos 4chan.

As fotos teriam sido divulgadas por um hacker que teria pego fotos pelo serviço iCloud, da Apple, publicado no 4chan e que depois se espalharam por outros domínios como o Reddit. O hacker disse ter outras centenas de fotos, mas que só divulgaria mediante pagamento em dinheiro.

Entre fotos supostas ou com identidade atribuída já confirmada, foram envolvidas, além de Jennifer, famosas como Ariana Grande, Rihanna, Kate Upton, Kim Kardashian, Cat Deeley, Avril Lavigne, Lea Michele, Hayden Panettiere, Kirsten Dunst, Selena Gomez, Victoria Justice e até Mary Elizabeth Winstead.

Winstead escreveu uma mensagem lamentando o ocorrido com ela e outras atrizes e afirmou ter sentido o esforço próprio de ter apagado, semanas atrás, as fotos que havia publicado da vida privada dela e de seu marido.

Jennifer Lawrence, por sua vez, escreveu que considera o episódio uma flagrante violação de privacidade, e que sente o quanto duro e estranho é haver pessoas que tiram a privacidade dos famosos, acrescentando ter agido para que as autoridades processem não só o hacker mas também as pessoas que publiquem as fotos roubadas.

Um texto do jornal britânico The Guardian também adotou a postura de Jennifer, e defendeu que o hacker e os seus seguidores sejam processados. Ele foi escrito pela cronista Van Badham, que declarou ser deplorável não apenas a atitude do hacker, mas também daqueles que compartilham da publicação das fotos.

NO BRASIL, "BOAZUDAS" PODEM REVER POSIÇÃO

Semanas atrás, a sub-celebridade Geisy Arruda escreveu que acordou alegre e desejando andar pelada na rua. Outras "musas" do gênero, como Andressa Urach, Nicole Bahls, Rita Cadillac e Solange Gomes também fizeram comentários ou insinuações do tipo, dentro daquele espírito da "liberdade do corpo" que faz a fama das "boazudas".

O provincianismo no Brasil e a modernidade forçada das "musas vulgares" - que precisam dissimular suas imagens de mulheres-objetos com o discurso da "liberdade sensual", do "feminismo" e da "militância LGBT", posturas tendenciosas que tentam dissociá-las do machismo a que estão submetidas - as faz adotar essa postura um tanto estranha e grosseira.

Duramente criticadas por internautas, essas "musas" tentam adotar posturas por vezes mais "sóbrias", em outras pretensamente "intelectuais", o que fez com que, nos últimos anos, tivessem que adotar medidas como "homenagear" atrizes como Marilyn Monroe ou pegar carona em algum contexto intelectual como ter nome citado em prova escolar.

Umas chegam mesmo a terem que adotar trajes discretos, em suas andanças nos aeroportos, depois que foram pressionadas pela opinião pública a não ficarem "sensualizando" o tempo todo e a qualquer preço. Mesmo assim, Solange Gomes foi vista recentemente vestindo pouca roupa sob um frio de 10 graus.

É difícil dizer agora como se comportarão essas "musas" diante da repercussão da divulgação de fotos nuas de famosas. Será que o caso "4chan", no país do É O Tchan, será visto aqui pelos intelectuais "bacaninhas" como o "Procure Saber" da sensualidade feminina? Ou será que as "boazudas" terão que tomar jeito mais uma vez?

De uma forma ou de outra, o escândalo ocorrido nos Estados Unidos pode fazer com que se reveja o sentido da "liberdade do corpo" como é visto no Brasil. E que, na era dos baldes de gelo, será um verdadeiro balde de água fria nas cabeças dos internautas que querem pornografia a qualquer preço, sobretudo sob o pretexto do "popular".

Comentários