RUAS DE NITERÓI OFERECEM PERIGO MORTAL PARA TRANSEUNTES

RUA OTÁVIO CARNEIRO, EM ICARAÍ.

A tragédia está pertinho de qualquer um nas calçadas de Niterói e adjacências. Depois que uma família morreu eletrocutada em São Gonçalo e um cão doméstico morreu da mesma forma no bairro de Ponta d'Areia, vários fios desencapados são vistos, oferecendo perigo mortal para transeuntes.

Ontem, perto de um local em obras na Rua Otávio Carneiro, um fio descoberto estava próximo ao meio-fio. Felizmente não estava interrompendo as passagens dos pedestres, mas se alguém, por acidente, se encostar no fio, o risco de morrer eletrocutado é certo, e quem tocar na vítima também morre.

Meses atrás um fio descoberto oferecia perigo à população na esquina da Rua Lopes Trovão com a Rua Santa Rosa, junto ao Subway. E, recentemente, na entrada de um estabelecimento na Rua Moeira César, ao lado do Trade Center, havia também fios descobertos, uma ameaça de arrepiar.

A Ampla não consegue ter agilidade. Aliás, em Niterói, logística e agilidade não parecem ser práticas comuns, pelo contrário, são muito raras. Os supermercados levam duas semanas para repor produtos, a Ampla leva tempo para fazer concertos, deixando os transformadores explodirem ou caírem, o que, neste caso, resultou em duas tragédias com ônibus ocorridas no trajeto Barreto - São Gonçalo.

Enquanto não se implanta uma mentalidade logística decente - os administradores e gerentes de empresas parecem bonequinhos de corda que só agem se a gente intervir com reclamações - , o jeito é as pessoas olharem para todos os cantos e evitar andar em locais com fios desencapados. Nem que seja para dar uma ou duas voltas aqui e ali. O que importa é salvar suas vidas.

Comentários