BIBLIOTECA NACIONAL E ZIMBIO MOSTRAM ARQUIVOS POSSIVELMENTE "INFECTADOS"


A página da Hemeroteca Digital, do portal da Biblioteca Nacional, está com um aviso no Google Chrome que aponta uma página suspeita, identificando um suposto malware presente na página, que normalmente leva para a consulta de arquivos digitalizados pela instituição.

Não se sabe se o aviso corresponde a um "falso positivo" - quando páginas em manutenção, até pelo fato de webmasters entrarem com suas contas para intervir nas páginas, algo bastante natural - ou se a página realmente foi invadida por hackers. Em todo caso, isso compromete a consulta pelos internautas.

É possível que os serviços de vigilância digital, como os anti-vírus e anti-spywares possam identificar como "suspeitas" páginas que, na verdade, passam por processos de manutenção e suas contas foram "invadidas" apenas pelos seus próprios responsáveis.

É como ocorre quando um músico entra num bastidor da apresentação de sua banda e o segurança não o reconhece e pede seus documentos. O segurança entende que teria sido um invasor querendo entrar no palco pela porta dos fundos, quando é um dos próprios participantes do evento que se dirige ao local.

O problema é que não há garantia, do lado dos internautas, de qual página passa por manutenção ou qual foi realmente invadida por um ataque digital. A própria apresentação da página suspeita já é um indício de que teremos que evitá-la, mesmo que seja um "falso positivo".

Espera-se que a Biblioteca Nacional possa dar um parecer sobre o caso, até para prestar esclarecimentos ou, no caso da página ter sido realmente atacada, que o problema seja resolvido imediatamente.

ZIMBIO TEVE PÁGINA SOBRE ANOS 90 "INFECTADA"

Já o portal Zimbio, que publica notícias e galerias de fotos de celebridades, além de lançar questionários e páginas sobre curiosidades, teve uma página invadida por um arquivo malicioso, provavelmente de um pop-up (arquivos de propaganda virtual) inserido na página.

O portal está "limpo" em quase todos os arquivos, garantindo a consulta até das fotos recentes de celebridades. Mas o artigo "10 Reasons We Should Never Go Back to the '90s" (Dez razões para nunca voltarmos para os anos 90), que fala sobre o caráter superficial dos anos 90, foi invadido por um arquivo malicioso.

O alerta vem do Avast, programa anti-vírus que, felizmente, é capaz de bloquear a ameaça, e a faz, a não ser se o computador já estiver infectado, pois aí, nem Avast revolve. E isso é uma pena, porque é uma das páginas mais interessantes feitas pela equipe que faz o Zimbio, nos EUA.

O texto serviria sobretudo para nós, brasileiros, que somos forçados a acreditar que a década de 1990 foi genial, divertida, bacana e revolucionária. Salvo exceções, a década de 90 no Brasil foi uma bosta. Nos EUA nem tanto, até porque o país vivia então a ressaca da Era Reagan da década anterior (a "década perdida" deles) e viu nos anos 90 uma espécie de "balanço" para o país se reavaliar.

No Brasil, os anos 90 foram a "década perdida" do país, em que a degradação sócio-cultural e política e o neoliberalismo desenfreado estragaram todos os esforços de promover algum progresso nacional ou regional, sob os mais diversos aspectos e com efeitos não raro devastadores.

Mas como no nosso país temos que sempre corroborar a visão dos "vencedores", somos induzidos a acreditar que os anos 90 foram maravilhosos, que tudo que aconteceu na década foi "genial" e blablabá. Foi a época da supremacia do "deus mercado", da ditadura midiática e seus intelectuais e acadêmicos free lancers (sem vínculo  formal com os donos da mídia).

Espera-se que o Zimbio tenha resolvido definitivamente o problema. Eu já comuniquei à página do portal no Facebook.

Comentários