EM 1961, BOLETINS DE PROGRAMAÇÃO DE TV SE CONTRADIZIAM EM DADOS

ROY ROGERS ERA EXIBIDO NA TV BRASILEIRA NOS IDOS DE 1961.

A televisão brasileira ainda estava incipiente há cerca de 55 anos. Sua popularidade crescia, em relação a 1950, as atrações se multiplicavam e se aperfeiçoavam em qualidade, e o videoteipe era implantado aos poucos pelas emissoras. O rádio, por sua vez, via a popularização dos aparelhos portáteis que, graças ao transístor, foram lançados em 1960.

Mas ainda havia muito o que fazer e até o que acabou não sendo feito, como a preservação de um grande acervo de programas, que se perderam em sucessivos incêndios e, às vezes, por fitas desgravadas. Se fosse preservado, o acervo serviria como um referencial para recuperarmos a qualidade de nossa programação televisiva, que anda extremamente ruim, até na TV "fechada".

Pesquisando sobre o ano de 1961, eu vejo casos curiosos, como o do "desencontro" de listas de programação das emissoras de TV da época, como se observa no exemplo da Guanabara, o antigo Estado composto apenas do município do Rio de Janeiro.

LISTA DE PROGRAMAÇÃO PUBLICADA EM DIFERENTES JORNAIS CARIOCAS, EM 05 DE ABRIL DE 1961.

Observa-se que, naquela época, o Rio de Janeiro só tinha três emissoras de TV: TV Tupi (canal 6), TV Continental (canal 9) e TV Rio (canal 13). A TV Rio era associada à TV Record paulista. A TV Globo carioca estava apenas no papel e Sílvio Santos, hoje empresário do SBT, mal começava a estrear seu programa Vamos Brincar de Forca na TV Paulista.

Mesmo assim, conforme lembrou certa vez Artur Xexéo, havia mais qualidade e variedade em três emissoras de TV da época do que em cem emissoras de pacotes avançados da TV paga. Mas isso não impedia que certas trapalhadas acontecessem na divulgação de boletins de programação.

É o que se vê em três jornais cariocas que pude pesquisar: o Jornal do Brasil, que hoje só existe na Internet, e os extintos Diário Carioca e Correio da Manhã. O Globo não pude pesquisar por restrições orçamentárias e O Dia não disponibilizou arquivo antigo na Internet. E, por restrições de tempo, não consultei a lista enviada para a Última Hora.

Nota-se que a única emissora que mandou um boletim uniforme foi a TV Rio, no qual apenas faltou, no Diário Carioca, a menção do último programa, posterior ao das Atrações Mauá, a segunda edição do programa de reportagens (Reportagem Ducal, segundo o Jornal do Brasil).

Há apenas algumas diferenças de menção, como a citação do patrocinador nos programas jornalísticos, o Telejornal Pirelli, apresentado pelo conhecido Léo Batista, hoje na Globo, e Reportagem Ducal, feita somente pelo Jornal do Brasil.

Quanto às demais emissoras - mesmo a conceituada TV Tupi Rio - , a menção da programação apresenta algumas variações em horários, nomes e programas. Na grade infantil, por exemplo, as variações ocorrem da seguinte maneira:

- Na TV Tupi, o Jornal do Brasil e o Correio da Manhã anunciam para as 18h30, o programa infantil Guguta e Tião, enquanto o Diário Carioca credita, para o mesmo horário, o programa No Reino da Música. Para as 19 horas JB e CM creditam o mini-programa Vamos Brincar, enquanto credita o musical Canção de Nana para as 19h05. DC ignora Vamos Brincar e credita Canção de Nana para as 19 horas.

- O seriado Roy Rogers, sucesso da TV dos EUA transmitido na época aqui pesquisada pela TV Rio, só diverge quanto ao horário de exibição. No Jornal do Brasil, o programa é creditado para 19 horas, enquanto o Diário Carioca credita para 19h10 e o Correio da Manhã, 18h50.

- O programa de Hebe Camargo transmitido na época (05 de abril de 1961) só tem seu nome correto creditado pelo Correio da Manhã: Hebe Comanda o Espetáculo, nome adotado para o programa transmitido na TV Continental, onde a famosa apresentadora foi contratada.

Há um fato a averiguar, sobretudo num país de memória curta como o Brasil, em que muita gente, feito uns bobos alegres, quando falam da década de 1960, em vez de averiguar o ano exato, ficam tolamente descrevendo "anos 60", "década de 1960" ou "meados dos anos 60", como se não houvesse diferença entre o mundo em 1960 e o mundo em1969.

A Volante do Pallut foi um programa de reportagens (a volante era uma viatura que fazia reportagens de rua) da Rádio Continental, que em 1959 ganhou versão na emissora televisiva do mesmo nome - que, como rezam as concessões de então, eram dadas a emissoras de rádio, daí o sentido extensivo de radiodifusão para a TV - , tendo marcado a trajetória da referida emissora do Canal 9 carioca.

Todavia, os três jornais (Jornal do Brasil, Diário Carioca e Correio da Manhã) creditam a Volante do Pallut como um programa da TV Tupi, com os três jornais dando como informação de horário a de 14h05. Resta algum samaritano esclarecer se o programa havia migrado na época para a Super Rádio Tupi e TV Tupi, porque até agora não consegui encontrar um dado a respeito disso.

Comentários