USO EXCESSIVO DE SAPATOS "SOCIAIS" PODE PREJUDICAR ARTICULAÇÕES


Um dos piores cacoetes dos homens com mais de 45 anos, sobretudo empresários e profissionais liberais, é o uso cada vez mais constante dos chamados "sapatos sociais", motivado sobretudo pela imagem de "elegância" e "seriedade" que tais calçados expressam no imaginário masculino.

Calçados mais voltados para os negócios e para eventos de extrema formalidade, como festas de gala, eles são usados de maneira abusiva e obsessiva por homens com mais de 45 anos, que os usam até em festas de aniversários de crianças, almoços informais ou uma simples ida ao cineminha.

Os calçados desse tipo não costumam ser muito confortáveis. Mas, para quem não precisa andar muito e vai de carro e, praticamente, estaciona na porta de um estabelecimento onde irá comparecer a um evento, isso tanto faz, pois o homem que usa tais calçados já faz sua caminhada de procissão, em passos muito lentos, o que parece bastante indolor.

Só que a vaidade tem seu preço e o uso exagerado desses calçados, que aumenta no decorrer da idade, já que existe a ilusão de que homens "mais maduros" têm que trocar os tênis pelos sapatos de verniz ou de couro, pode causar danos graves nas articulações.

Até agora, a única coisa que se fez foi "flexibilizar" o uso de calçados, permitindo que até homens considerados mais sisudos e, portanto, mais apegados aos "sapatos sociais", possam abrir mão dos mesmos e irem a supermercados, passeios em parques públicos e caminhadas no calçadão usando tênis.

Mas isso é insuficiente. Além disso, é justamente depois dos 45 e dos 50 anos que o uso dos sapatos considerados "sociais" teria que ser reduzido, e não aumentado, se tornando mais restrito a eventos com maior rigor de formalidade.

Mas a vaidade de compensar o embranquecimento dos cabelos com o brilho dos sapatos bem engraxados faz com que se faça o contrário, e, se não fossem as caminhadas, passeios nos parques e idas a supermercados, os "sapatos sociais" se tornam os "segundos pés" no cotidiano dos "coroas".

Isso é mal, porque, pelo calço duro e pela plataforma pouco confortável desses sapatos, o uso desmedido dos mesmos pode causar sérios problemas nas articulações, o que, em certos casos, pode até agravar os efeitos do mal de Parkinson.

Daí não ser estranho que os homens que estão entre 45 e 70 anos usem e abusem dos "sapatos sociais", buscando uma "maturidade" aparente nos pés e confundindo sisudez com comedimento. Depois, quando atingem a velhice plena, são obrigados a usar tênis até em eventos mais formais, pelas dores que contraíram nos pés. A vaidade e a elegância obsessiva fazem mal.

Comentários