Pular para o conteúdo principal

PAI E FILHO


O menino corre para seu pai, pedindo com insistência:

- Pai, tira a Dilma do governo! Papai, faz isso, por favor!! Tira aquela megera do Planalto!

O pai, pacientemente, disse:

- Filho, pare para pensar. A Dilma não tem acusação rigorosa contra ela. Tudo o que falam a respeito de irregularidades é rumor, está no nível da fofoca.

- Não, pai! Eu quero ela fora! Não gosto dela! Tira ela dali, papai! Não aguento mais ela no governo!

- Filho, ela foi eleita para este mandato com 54 milhões de votos. Ela foi reeleita dentro da normalidade constitucional. Assim que você não gosta dela, meu filho, tem muita gente que gosta e confia nela. Você não é o único brasileiro que existe no país. Existem pessoas que não pensam igual a você e você tem que respeitar. É a vida.

- Não! Não gosto dela! Danem-se os outros. Só tem bundão!

- Não fale assim, meu filho!

- Só tem bundão mesmo, papai! E Dilma aprontou, sim. Veja as pedaladas fiscais!

- Aquilo é uma deturpação, filho. O que foi feito foi uma alteração dos dados fiscais para facilitar o âmbito de pagamentos e recebimento de empréstimos. Todo governo faz isso. O Fernando Henrique Cardoso também fez.

- Aquilo é crime de responsabilidade, papai! Dilma é caloteira! Dilma é fraudulenta!

- Então você deveria chamar o Fernando Henrique da mesma forma!

- Não! Fernando Henrique é sociólogo! Quero Dilma fora do governo! Quero alguém igual ao Fernando Henrique, um professor no governo!

- Filho, vejo que você não quer mais Dilma no poder. E nem quer Lula perto!

- Aquele calhorda não! Parece aquele vilão do Popeye, o Brutus! Tenho medo!

- Filho, você tem que saber que nem todo mundo vive e pensa igual a você. O Lula realizou vários avanços sociais. Longe do ideal, é verdade, e muito longe do prometido, mas foi alguma coisa para o povo.

- Não, não quero! Não quero isso! Quero crescimento só para mim, para você e para mamãe! Não quero Lula de novo! Quero Dilma fora do governo e Lula na cadeia, de preferência em prisão perpétua!

- A Constituição Federal não prevê prisão perpétua. Ela prevê prisão máxima de 30 anos.

- Tudo bem. Lula já é velho mesmo, 30 anos é quase perpétua para um bandido desses.

- Não fale assim do Lula. Você pode discordar dele, mas não pode partir para a baixaria.

- Mas todo mundo faz, papai. Tem aposentado que chamou Lula de "líder da quadrilha". Ouvi umas senhoras chamando Dilma de "jacaroa".

- "Jacaroa" é errado. O certo é "jacaré fêmea".

- A Veja mostrou a foto de Dilma rasgada, Lula com serpentes na cabeça!

- Aquilo tudo não são exemplos para você seguir, filho! Cuidado com certas pessoas que se dizem importantes e corretas.

- Mas você criticou tanto o PT, papai! Disse que Dilma errou muito no governo, como é que você vai aguentar mais dois anos com ela no poder?

- É porque, filho, eu não penso apenas por minhas vontades. Um governo está acima de qualquer ideologia, o governante pode governar para mim, mas governa também para quem não pensa do meu jeito.

- Não interessa, papai! Dane-se tudo isso! Não aguento Dilma no poder! Não aguento! Não aguento! Não aguento! Bota Lula na cadeia, tira Dilma do Planalto, bota aquele Temer, que tem aquela esposa muito bonita! Faz o que eu peço, papai, eu imploro! - gritou o menino em desespero.

- Está bem, vou tirar Dilma do poder, e vou ver se faço Lula ir para a cadeia. Quanto ao primeiro pedido, eu posso mesmo fazer hoje, mas quanto ao segundo, prender Lula, não sei se vou poder, mas farei o possível. - disse o pai, meio a contragosto.

- Faz para mim, papai! Faz, faz, faz! - disse o menino, eufórico.

- Tá. Pelo menos se Dilma estiver fora do poder está bom para você, tá?

- Tá, papai! Já é muita coisa! Muito obrigado! - disse o menino, bastante alegre.

E o menino teimoso beija a testa do pai e corre para o quintal de sua casa brincar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESTUPRO COLETIVO DERRUBA MITO DA "LIBERDADE DO CORPO"

O vergonhoso caso do estupro coletivo desmascarou uma situação que a intelectualidade "bacana" sempre abafou com falso relativismo.

O mito da "liberdade do corpo" num país do combate ao assédio abusivo.

O terrível caso ocorreu num bairro popular, na região de Jacarepaguá.

33 homens afoitos cercando uma moça de 16 anos, dopando a menina, depois a estuprando sob o registro da câmera do celular e depois publicando na Internet.

Um episódio de pura truculência, mas condicionado pela ilusão de liberdade sexual que a intelectualidade "bacana", que apostava num Brasil brega, queria para as classes pobres.

Mesmo mulheres aparentemente ativistas, dentro dessa intelectualidade, davam dois pesos e duas medidas.

Elas reclamavam contra a imagem caricatural que as mulheres, de classe média, recebiam dos comerciais de TV.

Mas consentiam que a mesma imagem fosse impunemente abordada sob o rótulo do "popular".

Reclamavam quando a imagem da mulher de classe média…

GOVERNO TEMER E A REVOLTA DOS UMBIGOS

A "revolta dos umbigos" que surgiu nas mídias sociais achou que tinha o poder pleno nas mãos.

Lutaram para ter Michel Temer no lugar de Dilma Rousseff para realizar uma agenda mais conservadora para o Brasil.

Essa agenda é um misto do programa eleitoral derrotado de Aécio Neves em 2014 com as "pautas-bombas" do então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Primeiro, os "revoltados" na Internet se escondiam nas mídias sociais, se limitavam a trolar assuntos culturais ou coisa próxima e fingiam serem progressistas.

Depois, deixaram a máscara cair e iniciaram uma campanha para derrubar Dilma Rousseff.

Conseguiram o que fizeram, pois faziam parte de uma "frente ampla" às avessas, que clamavam por retrocessos políticos sob a desculpa do "combate à corrupção".

Estavam junto dos empresários em geral e, em parte, os que controlam a grande mídia.

Foram animadores juvenis de uma campanha que ludibriou a sociedade inteira, que passou …

CRIMINALIZAÇÃO DO "FUNK" É UMA PROPAGANDA ÀS AVESSAS

Um abaixo-assinado na página do Senado atingiu, anteontem, a marca de 20 mil assinaturas, diante de uma causa bastante controversa, a de criminalização do "funk".

A proposta é de autoria do empresário paulista Marcelo Alonso, que se declara pai de família e afirma estar tentando "salvar a juventude".

Deu um tiro no pé, porque a proposta acabou estimulando mais o natural coitadismo do "funk", tido como "vítima de preconceito".

A repressão policial transformou um ritmo musicalmente medíocre em "canção de protesto".

A presença de "bailes funk" em noticiários policiais transformou os ricos empresários-DJs, ávidos por dinheiro, em supostos ativistas culturais.

A criminalização transformou medíocres MCs de vozes esganiçadas em pretensos militantes.

Da mesma forma, a criminalização do "funk" fez um mero ritmo dançante e comercial virar, durante anos, um pretenso paradigma de folclore popular.

Enquanto rolava o discurso de…