MORADORES DE SANTA ROSA PREJUDICADOS COM FIM DE AGÊNCIA DO BANCO DO BRASIL


Foi um grande erro estratégico.

Com a política de fechamento de agências e corte de gastos, o que indica muitas demissões, o Banco do Brasil cometeu um grave equívoco.

Fechou a agência da Rua Santa Rosa e obriga os moradores de Santa Rosa e Jardim Icaraí a pegar ônibus para a agência mais próxima, na Rua Presidente Backer (foto).

Existe uma boa sugestão para quem for esperto.

O morador pode pegar um ônibus da linha 53 Santa Rosa / Centro e não passar pelo torniquete.

Quando chegar à Rua Pereira da Silva, depois de cruzar a Rua Gavião Peixoto, é só sair de fininho pela porta de entrada.

Aconselha-se uma pessoa para cada ônibus, pois o acesso é pequeno.

Na volta, fica mais complicado.

Seria necessário andar até a Rua Gavião Peixoto e praticar a esperteza na linha 30 Martins Torres / Centro, mais para o lado do Jardim Icaraí, e a própria 53 (ou a 57, vinda da Fagundes Varela), para quem quiser ir ao Viradouro.

Foi um grande desrespeito para quem não tem forças para andar do entorno da Rua Santa Rosa para a Rua Presidente Backer.

Para piorar, a agência da Rua Presidente Backer é próxima da Rua Coronel Moreira César, o que é uma sobreposição de agências do Banco do Brasil.

O pessoal de Icaraí tem duas agências, o de Santa Rosa ficou sem a que tinha.

Já é suficiente o preço das contas a pagar, enquanto o salário evapora em vários reais, devido à mão-de-vaca do governo Michel Temer.

Talvez seja a hora das bicicletas serem usadas, ou mesmo pranchas de esqueite.

A situação está dura, com esse governo sovina que diz cortar gastos "por causa da crise".

Enquanto isso, Temer e seus aliados na política, na Justiça e na mídia estão nadando em dinheiro, com fortunas que não param de crescer.

Eles podem "ir ao banco" mais distante, até porque suas contas bancárias estão depositadas em pequeninas nações ou arquipélagos considerados "paraísos fiscais".

Mas uma coisa é um político do PSDB ter sua poupança nas Ilhas Virgens Britânicas.

Outra coisa é o brasileiro comum que tem conta no próprio país, mas precisa ir umas léguas distante à agência "mais próxima" para pagar contas que crescem e salários que descrescem.

Sem falar que Niterói está cada vez mais virando uma cidade do interior, das mais matutas.

Só mesmo em cidade do interior para pessoas terem que encarar uma boa distância para ir a uma agência de banco.

Comentários