Pular para o conteúdo principal

O EX-PRESIDENTE ACUADO, A DIREITA ARTICULADA E O JUIZ ENCRENCADO

O JUIZ RICARDO AUGUSTO SOARES LEITE, FAMOSO PELO ABUSO DO PODER.

Oficialmente, o ex-presidente Lula deixou de ser um ser humano para ser um animal a ser caçado e abatido.

É o que setores da sociedade estão pensando em relação ao fundador do PT.

A grande mídia irá linchar o ex-presidente até ele não poder reagir mais.

E isso apesar de Lula, por direito dele, recorrer ao Conselho de Direitos Humanos da ONU para processar Sérgio Moro por abuso de poder.

No Brasil, já não é mais o livre direito de alguém criticar o PT por erros que cometeu ou dizer que não gosta do partido ou não concorda com seu projeto político.

É a calúnia simples e gratuita de alguns exaltados tomados de cegueira e ignorância.

Querem tanto assassinar reputações de Lula e Dilma Rousseff que acabam sofrendo o efeito contrário.

Vide o diretor teatral Cláudio Botelho, que está desmoralizado por seus comentários anti-PT.

E teve estremecidas as relações com Chico Buarque, de cujas obras Cláudio adaptou. Chico é petista e amigo de Lula e Dilma.

Houve também o jornalista e escritor Guilherme Fiúza, que acabou caindo no ridículo ao dizer que o New York Times é patrocinado pelo PT.

Atraiu tantas risadas quanto seu biografado, o saudoso Bussunda, em papéis como o Marrentinho Carioca ou o seringueiro que "tirava leite do pau".

Sem falar de uma revista Veja inteira acumulando pilhas e pilhas de exemplares encalhados.

É tão fácil encontrar exemplares da semana anterior quando a edição corrente chega às bancas.

A direita pode estar bastante organizada e articulada nas mídias sociais.

Mas, também, ela vive isolada em seu meio. Pensam o mundo olhando para seus umbigos.

E a Justiça que quer condenar Lula, sem mostrar provas consistentes, é bastante irregular.

Sérgio Moro é parcial, não gosta de prender tucanos.

Inventou, num evento nos EUA, que não investiga o envolvimento do PSDB na Lava-Jato porque "não recebeu denúncias a respeito".

Claro. Gilmar Mendes pega as denúncias e bota na gaveta.

Agora, o juiz que determinou que Lula é réu, Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal Criminal de Brasília, é conhecido por duas encrencas.

Ele chegou a ser alvo de processo, junto a uma procuradora, por abuso de poder contra a Ordem dos Advogados do Brasil, seção Distrito Federal (OAB-DF).

Ele também é conhecido por dificultar a investigação da Operação Zelotes contra crimes de corrupção de grandes bancos privados, um deles estrangeiro.

Ele impediu as diligências que estavam perto de comprovar o envolvimento desses bancos no esquema.

A condenação a Lula é uma revanche contra a iniciativa dele de recorrer à ONU.

E o mundo reage pasmo a esse surto golpista.

Vão fazer tudo para Michel Temer permanecer no governo até o fim de 2018, para deixar o Brasil na falência, com inflação alta, como em todo governo plutocrático que já nasce atrapalhado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESTUPRO COLETIVO DERRUBA MITO DA "LIBERDADE DO CORPO"

O vergonhoso caso do estupro coletivo desmascarou uma situação que a intelectualidade "bacana" sempre abafou com falso relativismo.

O mito da "liberdade do corpo" num país do combate ao assédio abusivo.

O terrível caso ocorreu num bairro popular, na região de Jacarepaguá.

33 homens afoitos cercando uma moça de 16 anos, dopando a menina, depois a estuprando sob o registro da câmera do celular e depois publicando na Internet.

Um episódio de pura truculência, mas condicionado pela ilusão de liberdade sexual que a intelectualidade "bacana", que apostava num Brasil brega, queria para as classes pobres.

Mesmo mulheres aparentemente ativistas, dentro dessa intelectualidade, davam dois pesos e duas medidas.

Elas reclamavam contra a imagem caricatural que as mulheres, de classe média, recebiam dos comerciais de TV.

Mas consentiam que a mesma imagem fosse impunemente abordada sob o rótulo do "popular".

Reclamavam quando a imagem da mulher de classe média…

GOVERNO TEMER E A REVOLTA DOS UMBIGOS

A "revolta dos umbigos" que surgiu nas mídias sociais achou que tinha o poder pleno nas mãos.

Lutaram para ter Michel Temer no lugar de Dilma Rousseff para realizar uma agenda mais conservadora para o Brasil.

Essa agenda é um misto do programa eleitoral derrotado de Aécio Neves em 2014 com as "pautas-bombas" do então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Primeiro, os "revoltados" na Internet se escondiam nas mídias sociais, se limitavam a trolar assuntos culturais ou coisa próxima e fingiam serem progressistas.

Depois, deixaram a máscara cair e iniciaram uma campanha para derrubar Dilma Rousseff.

Conseguiram o que fizeram, pois faziam parte de uma "frente ampla" às avessas, que clamavam por retrocessos políticos sob a desculpa do "combate à corrupção".

Estavam junto dos empresários em geral e, em parte, os que controlam a grande mídia.

Foram animadores juvenis de uma campanha que ludibriou a sociedade inteira, que passou …

CRIMINALIZAÇÃO DO "FUNK" É UMA PROPAGANDA ÀS AVESSAS

Um abaixo-assinado na página do Senado atingiu, anteontem, a marca de 20 mil assinaturas, diante de uma causa bastante controversa, a de criminalização do "funk".

A proposta é de autoria do empresário paulista Marcelo Alonso, que se declara pai de família e afirma estar tentando "salvar a juventude".

Deu um tiro no pé, porque a proposta acabou estimulando mais o natural coitadismo do "funk", tido como "vítima de preconceito".

A repressão policial transformou um ritmo musicalmente medíocre em "canção de protesto".

A presença de "bailes funk" em noticiários policiais transformou os ricos empresários-DJs, ávidos por dinheiro, em supostos ativistas culturais.

A criminalização transformou medíocres MCs de vozes esganiçadas em pretensos militantes.

Da mesma forma, a criminalização do "funk" fez um mero ritmo dançante e comercial virar, durante anos, um pretenso paradigma de folclore popular.

Enquanto rolava o discurso de…