Pular para o conteúdo principal

"FUNK" SE CONSAGRA MESMO COMO O "CABO ANSELMO" DA VEZ


A Folha de São Paulo não conseguiu esconder que o "funk" rivalizava com a fala de João Pedro Stedile, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).

A famosa organização, "criminalizada" pela mídia hegemônica, foi uma das organizações que montou acampamento nos últimos dias, em Porto Alegre, para acompanhar o julgamento do ex-presidente Lula no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o TRF-4.

Um grupo munido de vozes, tambores e passinhos, como no manifesto na sede da Rede Globo de Televisão, pegava as bandeiras do MST e cantarolava adaptando um sucesso de "funk".

Se ainda fosse o megahit "Que Tiro Foi Esse?", da Jojo Toddynho, a atitude seria compreensível.

Mas se trata de "Oh, Novinha", um sucesso mais privativo do meio, do MC Don Juan.

A letra original foi adaptada para o contexto da manifestação.

O trecho original diz: Oh, novinha, eu quero te ver contente, não abandona o 'peru' da gente".

Na manifestação ele virou: "Oh, trabalhador, eu quero te ver contente, vem defender a democracia com a gente".

O "funk" aproveita o gancho de que a juventude atual recebeu uma educação hipermidiatizada e hipermecantilizada.

É uma geração que, culturalmente, absorve facilmente os valores do consumismo neoliberal das corporações estadunidenses.

Não sabe a diferença entre música comercial e não-comercial, e, mesmo assumindo posturas de esquerda, são "educadas" culturalmente por gente do nível de Luciano Huck.

É um pessoal apegado às mídias sociais, ao consumismo pleno, e mal está conhecendo o outro Brasil, um culturalismo sombrio trazido pelos livros do sociólogo Jessé Souza.

Esse culturalismo ainda virá à tona nos debates públicos, quando se tornar comum o fenômeno do "pobre de direita", assim como veio o fenômeno do "roqueiro de direita" ou do "jovem de direita" em geral.

Até lá, porém, os jovens ainda acreditam que o "popular demais" é "mais divertido" que o Rock Brasil e, principalmente, a "velha" MPB.

Mas só porque é "mais divertido" e "desce redondo" não significa que nomes como Marília Mendonça, Jojo Toddynho, Pablo Vittar, MC Diguinho, MC Kevinho, MC Don Juan e o que vier sejam artistica e culturalmente relevantes ou substanciais.

Muito pelo contrário. Os sucessos são mais como jingles, com frases de efeito imediatas, que conquistam o público porque, infelizmente, ele se "educou" publicitariamente.

Mesmo os esquerdistas assimilaram valores de Luciano Huck, da Jovem Pan, de Nizan Guanaes ou mesmo do ancião Fernando Henrique Cardoso, através da intelectualidade "bacana".

E aí o "funk" virou o Cabo Anselmo da vez. Vide o "baile funk" supostamente solidário a Dilma Rousseff no dia 17 de abril de 2016.

Naquela época o "funk" rivalizava com as manifestações contra a abertura do processo de impeachment que iniciou o caminho da expulsão da presidenta do cargo.

Apesar da atitude "solidária" de Rômulo Costa, descobrimos que, menos de meio ano antes de sua atitude "em apoio a Dilma", ele havia comparecido a um evento de lançamento do livro de um ex-jornalista da Globo.

O jornalista em questão, Luís Erlanger, depois foi atuar nos bastidores da Comunicação do governo Michel Temer.

O "rei do funk" e dono da Furacão 2000 foi ao lançamento do livro No Fio da Navalha onde também estavam presentes Luciano Huck e João Roberto Marinho, um dos irmãos donos das Organizações Globo.

Não é o primeiro evento em que Rômulo Costa aparece para cumprimentar Erlanger. Outro livro dele, Antes Que Eu Morra, também foi prestigiado pelo dono da Furacão 2000, que foi fotografado na ocasião ao lado do jornalista.

Huck e Rômulo Costa também tiveram muitos eventos em comum.

Aliás, o próprio Rômulo Costa elegeu Huck como "embaixador do funk" entre 2000 e 2009.

Nessa época o "funk" trabalhava seu crescimento midiático e, entre 2003 e 2005, foi divulgado de maneira estranhamente frenética em tudo quanto era atração e veículo das Organizações Globo.

Até o Casseta & Planeta, já no começo de sua "tucanização", criou personagens funqueiros, MC Ferrow e MC Deu Mal, que tornou-se propaganda de divulgação dos ídolos do "funk".

O "funk" tornou-se, para os jovens, uma espécie de "Cavalo de Troia" do Brasil. Ou talvez uma "Eguinha Pocotó de Troia".

Assim como uma religião "espiritualista" que eu abandonei, que se conhece aqui como Espiritismo, está para os mais velhos.

São fenômenos que "descem macio" nas forças esquerdistas não porque são solidárias às causas progressistas.

Mas porque funqueiros e espiritualistas adotam um discurso não-rancoroso e se promovem às custas de imagens de pessoas pobres e negras sorrindo, e de um discurso falsamente progressista, seja o de "expressão das periferias" ou "coração do mundo".

Apoiando tais fenômenos, as esquerdas se esquecem que eles são blindados pela Rede Globo. O lúcido Leonel Brizola recomendava: se a Globo apoiava, devíamos rejeitar.

Só que não.

Tem espiritualista famosíssimo homenageando e cumprimentando João Dória Jr. e ainda há colunista de esquerda defendendo esse dito "médium", entusiasta do embuste de "crianças-índigo" que não passa de armação esotérica de mercenários como Nancy Ann Tappe, Lee Carroll e Jan Tober.

Os mais velhos caem no conto desses religiosos, em nome do apelo fotográfico de meninos negros e pobres sorridentes.

Os mais jovens caem no conto dos funqueiros, em nome do apelo televisivo de jovens negros e pobres sorrindo e dançando.

CABO ANSELMO EM 1964 E ATUALMENTE.

Os espiritualistas, em 1964, foram para a Marcha da Família Unida com Deus pela Liberdade pedir a ditadura militar.

O "funk" de hoje tem um apelo literalmente similar ao de um grupo de fuzileiros navais comandado por Cabo Anselmo - codinome do sargento José Anselmo dos Santos - , que eram ovacionados pelas esquerdas.

"Herói" das esquerdas, Cabo Anselmo revelou-se depois um reacionário colaborador da CIA.

O "funk" já tem comprovada sua ligação com a CIA, pois seus apoiadores assumiram serem financiados por instituições ligadas ao órgão do governo dos EUA, a Fundação Ford e a Soros Management Fund.

Além do mais, não faz sentido "guevarizar" um ritmo que surgiu sob inspiração do miami bass surgido nos redutos anti-castristas da Flórida, no extremo Sul dos EUA.

A narrativa que evoca um ufanismo das favelas, locais de construções precárias e muita miséria, e o uso de um jargão de FHC, "periferia", na sua concepção ideológica, parece bonita e virou, oficialmente, uma pretensa unanimidade.

Mas isso esconde a apologia à pobreza e à ignorância, sem falar que todo o discurso em defesa do "funk" acaba, depois, fortalecendo ainda mais as réplicas direitistas.

Esse é o perigo. E as esquerdas estão felizes com o "funk", o que pode colocar em risco o esquerdismo político, com esse vínculo tão tendencioso quanto falso.

A cada vez mais o "funk" se consolida como o "Cabo Anselmo" da vez, tentando fazer barulho para abafar e ofuscar, a pretexto de "reforçar", o discurso dos movimentos sociais.

O que a gente não imagina que rolou de papo entre Rômulo Costa e Luís Erlanger.

O empresário-DJ que se dizia "amigo da Dilma" e o jornalista que contribuiu para "positivar a imagem" do governo Michel Temer.

E quantas parcerias históricas da Furacão 2000 com a Som Livre, braço fonográfico da Globo.

Dá pena os jovens fazerem protesto contra a Rede Globo usando a "prata da casa".

Só que se manifestar contra o inimigo usando a arma deste pode dar em tiro pela culatra.

O "funk" pode dar o "beijo da morte" para o ciclo do PT. Com as bênçãos do chamado "Espiritismo à brasileira".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESTUPRO COLETIVO DERRUBA MITO DA "LIBERDADE DO CORPO"

O vergonhoso caso do estupro coletivo desmascarou uma situação que a intelectualidade "bacana" sempre abafou com falso relativismo.

O mito da "liberdade do corpo" num país do combate ao assédio abusivo.

O terrível caso ocorreu num bairro popular, na região de Jacarepaguá.

33 homens afoitos cercando uma moça de 16 anos, dopando a menina, depois a estuprando sob o registro da câmera do celular e depois publicando na Internet.

Um episódio de pura truculência, mas condicionado pela ilusão de liberdade sexual que a intelectualidade "bacana", que apostava num Brasil brega, queria para as classes pobres.

Mesmo mulheres aparentemente ativistas, dentro dessa intelectualidade, davam dois pesos e duas medidas.

Elas reclamavam contra a imagem caricatural que as mulheres, de classe média, recebiam dos comerciais de TV.

Mas consentiam que a mesma imagem fosse impunemente abordada sob o rótulo do "popular".

Reclamavam quando a imagem da mulher de classe média…

GOVERNO TEMER E A REVOLTA DOS UMBIGOS

A "revolta dos umbigos" que surgiu nas mídias sociais achou que tinha o poder pleno nas mãos.

Lutaram para ter Michel Temer no lugar de Dilma Rousseff para realizar uma agenda mais conservadora para o Brasil.

Essa agenda é um misto do programa eleitoral derrotado de Aécio Neves em 2014 com as "pautas-bombas" do então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Primeiro, os "revoltados" na Internet se escondiam nas mídias sociais, se limitavam a trolar assuntos culturais ou coisa próxima e fingiam serem progressistas.

Depois, deixaram a máscara cair e iniciaram uma campanha para derrubar Dilma Rousseff.

Conseguiram o que fizeram, pois faziam parte de uma "frente ampla" às avessas, que clamavam por retrocessos políticos sob a desculpa do "combate à corrupção".

Estavam junto dos empresários em geral e, em parte, os que controlam a grande mídia.

Foram animadores juvenis de uma campanha que ludibriou a sociedade inteira, que passou …

O CAMINHO QUE DERRUBOU UM MEMBRO DA ABL PARA MERVAL PEREIRA NELA ENTRAR

HUMBERTO DE CAMPOS, O ESCRITOR USURPADO POR OBRAS FAKE E MERVAL PEREIRA, O JORNALISTA FAKE QUE ENTROU NA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS.

O Brasil é um país doente.

Acha que está assumindo uma postura nobre ao abrir mão de seus próprios tesouros e a aceitar óbitos, em boa parte prematuros, de nossos grandes gênios.

Mas se apega, de maneira febril e psicótica, aos entulhos materiais e humanos, e se ofendem quando dissemos que até nossos facínoras e assassinos também adoecem e morrem.

O país é tão doente que, não raro, trai a coerência e a justiça social para criar uma "realidade oficial" ao sabor das conveniências e interesses de uns poucos privilegiados e arrivistas.

E isso envolve muita coisa. A literatura, por exemplo.

Vemos o caso surreal, típico de comédia de Luís Buñuel, do escritor maranhense Humberto de Campos.

O autor se situa no intervalo entre a geração do fim do século XIX, de Machado de Assis e Joaquim Nabuco, e a geração de 1945, de Carlos Drummond de Andrade e Fe…

ADMIRAÇÃO DE CANTOR DO ARCTIC MONKEYS POR LÔ BORGES ENVERGONHA FMS DE POP ADULTO

O SOL ENTROU NA CABEÇA DE ALEX TURNER (E), DOS ARCTIC MONKEYS, PELA MÚSICA DE LÔ BORGES.

Depois do fim da MPB FM, rádio dedicada à música brasileira no Rio de Janeiro, as FMs de pop adulto acabaram comendo poeira nos últimos dias.

Isso porque, quando divulgou o lançamento do sexto álbum dos Arctic Monkeys, o vocalista e guitarrista da banda britânica, Alex Turner, manifestou ter sido influenciado por ninguém menos que o cantor mineiro Lô Borges.

O novo álbum, intitulado Tranquility Base Hotel & Casino, teve uma lista de influências, pelo menos de parte do vocalista e principal compositor, divulgadas pela revista Mojo.

A lista já embaralha o público brasileiro médio, mesmo o de rock, que bovinamente deve ficar assustado por não conter aqueles "sucessos" e "ídolos" que eles estão acostumados a curtir.

SEM HITS FÁCEIS - Lista de músicas ouvidas por Alex Turner confundiriam as mentes do público médio que costuma ouvir música no Brasil.

Mesmo quando aparece um Rollin…

CAMISA DA CBF GEROU TRAUMA NA POPULAÇÃO

NEYMAR APOIANDO AÉCIO NEVES, MANIFESTOCHES APOIANDO O IMPEACHMENT SOB O COMANDO DE EDUARDO CUNHA, E FASCISTAS USANDO CAMISETAS DA CBF.

Nada como um dia atrás do outro.

Diz o ditado popular: "um dia é da caça, outro do caçador". Mas, no contexto em que vivemos, a ordem deve ser invertida.

Desde que os valentões da Internet fizeram patrulha pelo "estabelecido", puxando para si o "efeito manada" dos chamados "inocentes úteis" (que pegavam carona no suposto carisma do agressor e faziam coro em atos de valentonismo), muita coisa ocorreu no Brasil.

Da simples defesa de gírias próprias da mídia venal (como "balada", patenteada pelo consórcio Rede Globo / Jovem Pan) ao recente clamor da intervenção militar, os valentões das redes sociais vivem acumulando "vitórias de Pirro" aqui e ali.

Se expõem demais com mensagens agressivas, ofensas, ameaças, blogues caluniosos, ataques em massa. E quem "está dentro" também paga caro pel…

MARJORIE ESTIANO, CLÁUDIA LEITTE E O "TRIBUNAL DA INTERNET"

"Você não é obrigado a gostar, mas tem que gostar", diz o estranho artigo primeiro da "Constituição" das mídias sociais, motivada pela tirania do valentonismo digital (cyberbullying).

É isso que fez o pessoal reagir à indiferença da atriz e cantora paranaense Marjorie Estiano quando a também cantora Cláudia Leitte foi se apresentar no programa Altas Horas de ontem.

Marjorie - que teve um texto dedicado a ela no meu livro O Mundo Não Quer Ler - e Cláudia eram convidadas do mesmo programa apresentado pelo sempre jovial Serginho Groisman.

De repente, quando Cláudia Leitte, que é ídolo da axé-music, se apresentou, Marjorie, que é da área da MPB e do Rock Brasil, simplesmente não dançou.

Isso causou uma revolta nas redes sociais, que condenaram a atitude de Marjorie, por não terem gostado da atitude da atriz e cantora.

Com base nas mensagens veiculadas, ficou uma certa tirania dos internautas de que Marjorie deveria ficar dançando, de preferência com as mãos para cima …

ASSUSTADO, MICHEL TEMER LIGA PARA FAUSTÃO PARA DAR EXPLICAÇÕES

FAUSTO SILVA LEMBROU DOS TEMPOS EM QUE ENTREVISTOU MICHEL TEMER NOS ANOS 80.

O comentário de Fausto Silva, no Domingão do Faustão da Rede Globo, contra o governo Michel Temer, foi sem dúvida alguma tendencioso.

Foi muito longe de ser um progressista.

Não dava para o intelectual "bacana", que sonha com o folclore brasileiro de amanhã montado com as breguices que rolam nos palcos do Domingão, "guevarizar" o comentário do apresentador dominical.

Farofafeiros "guevarizaram" a novela Os Dez Mandamentos, da Rede Record, só porque tiraram a Rede Globo da liderança da audiência.

Deram um tiro no pé.

Os donos da Rede Record fazem parte da "bancada da Bíblia" que ultimamente está relacionada à derrubada do governo Dilma Rousseff e ao estabelecimento de agendas retrógradas para o país no Congresso Nacional.

Uma dessas agendas é a ultradecadente Escola Sem Partido, que proibirá tanto o debate da realidade quanto a interferência em mitos religiosos.

Os farof…

A PRISÃO "DIFERENCIADA" DE EDUARDO AZEREDO

EDUARDO AZEREDO SE ENTREGANDO À POLÍCIA EM BELO HORIZONTE, HORAS DEPOIS DE SER DECLARADO FORAGIDO MEDIANTE ORDEM DE PRISÃO.

Hoje o ex-governador de Minas Gerais, o tucano Eduardo Azeredo, se entregou à polícia.

Antes de chegar à Academia de Bombeiros Militar (ABM), na Rua Piauí, bairro Funcionários, Centro-Sul de Belo Horizonte, Azeredo fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal.

A prisão foi mais tranquila. Afinal, segundo Bolivar Lamounier, Eduardo Azeredo é tranquilo, ele não representa ameaça, apesar de ter pensado em censurar a Internet. Mas como é um tucano...

Sabe-se que Eduardo Azeredo é réu do esquema de corrupção do mensalão tucano, já que políticos do PSDB já se envolveram com o esquema do publicitário mineiro Marcos Valério antes do Partido dos Trabalhadores levar a fama por supostas acusações.

Eduardo Azeredo terá um tratamento privilegiado, estará preso próximo à sua casa e, para ser levado à prisão, foi dispensado de usar algemas.

Até aí, nada demais. Só que…

O FRACASSO COXINHA SIMBOLIZADO PELAS CAMISETAS DA CBF

Este é um Brasil muito, muito estranho.

Um Brasil em que valentões da Internet fazem cyberbullying para impor a "sua verdade".

Um país onde políticos conservadores envolvidos em comprovada corrupção nem sequer precisam cogitar sobre a vida atrás das grades, porque a prisão lhes é uma possibilidade nula.

Um Brasil cujas obras psicografake de certa religião espiritualista são consideradas "autênticas" porque contém frases piegas como "sejamos irmãos" e "busquemos a paz".

Um Brasil cuja parcela de machistas que fuma demais, usa drogas ou remédios e, só porque mataram suas próprias mulheres e saíram impunes, não podem sequer morrer das doenças que produzem, como câncer ou infarto.

Um Brasil em que se acredita tolamente que um sistema de ônibus vai melhorar com ônibus de pintura igualzinha exibindo logotipos de prefeitura, secretarias de Estado, consórcios etc.

Um Brasil em que a emancipação feminina é condicionada pelo machismo, de forma que as mul…

DITADURA MILITAR SEMPRE FOI MARCADA POR TORTURA E CORRUPÇÃO

TANQUE SE POSICIONA, NO RIO DE JANEIRO, DURANTE O GOLPE MILITAR DE 1964.

Infeliz daquele que quer a volta da ditadura militar, ainda que sob o eufemismo de "intervenção".

Há, lamentavelmente, muita gente assim. Mesmo pobre.

O discurso é sempre o mesmo: "com um militar do poder, o Brasil vai ter ordem e a gente vai receber salários dignos, não essa ladroagem que está aí mamando do Estado".

Tem gente que prega isso e puxa um efeito manada. Pessoal apoiando, sempre com aqueles bordões: "Tem que varrer essa sujeira que está no Congresso", "Tem que privatizar tudo, do jeito que está é um mar de lama" etc.

Além disso, há a novidade surreal de que uma parcela da sociedade já defende a queda dos salários dos trabalhadores, a perda de direitos trabalhistas etc.

Pelo menos isso eu não vi no tempo da ditadura militar.

Eu, criança e diante da mídia censurada, poderia estar desinformado de 99% do que acontecia no Brasil, mas creio que tal aberração não iria …