Pular para o conteúdo principal

O "MITO" NEM TOMOU POSSE E JÁ TEM BOLSOMÍNION AGREDINDO!


Desculpem, mas não é porque Jair Bolsonaro tornou-se presidente eleito do Brasil que os bolsomínions vão fazer o que querem.

As elites têm que tomar cuidado, porque elas é que sofrerão mais dificuldades e terão que seguir certos limites.

Infelizmente, o pessoal não pensa assim mas é bom os bolsomínions jair se acostumando com seu suicídio de reputação.

A graciosa e lindíssima atriz Erika Janusa, por sinal um colírio para nossos olhos, foi vítima de um comentário deplorável.

Uma reaça festejou a vitória do "mito" e desejou extermínio de negros, inclusive da adorável e talentosa Erika.

O ator Caio Paduan, com toda razão, reagiu, defendendo Erika e os negros em geral.


Caio Paduan avisou que a moça pode ser processada por tal ofensa e ela nem ligou, chamando o aviso de "palhaçada".

O comentário, no entanto, foi gravado e hoje repercute na Internet e reproduzimos ele aqui.

Os bolsonaristas não podem fazer o que querem. Não podem xingar, não podem ameaçar, não podem matar, não podem cometer crime algum.

Isso porque eles têm que tomar cuidado com o que fazem ou querem fazer. Como um busólogo reaça que criou blogue de ofensas e saiu "queimado". Creio que ele deve ter votado no "mito".

Chama-se a esse impulso suicídio de reputação.

O sujeito quer ser valentão, ameaça tudo e todos, faz de suas atrocidades. Mas, quando o estrago é feito, ele banca o coitadinho, não quer ser punido, não quer ser "queimado", não quer virar vidraça.

No caso dos comentários da Internet, num dia o valentão escreve um monte de ofensas e difamações, cria página exclusiva, comanda rituais de valentonismo (bullying), parodia e clona postagens da vítima com fins depreciativos.

Depois, quando se torna vidraça, o sujeito corre para apagar postagens, cancela blogues, desfaz contas e cria outras, e passa a usar as redes sociais com medo.

Num momento em que as redes sociais já alertam que feminicidas também morrem - eles estão entre os que mais sofrem risco de infarto, no Brasil - , não é bom sair por aí pregando o extermínio de quem quer que seja.

Além do mais, racismo e machismo estão sofrendo decadência. Não é porque Bolsonaro saiu vitorioso que essas duas posturas lamentáveis voltaram a estar em alta.

Elas são como um canto de cisne, num contexto em que dois machistas idosos estão se despedindo do planeta. Já se comenta muito isso, embora o pessoal estivesse com medo (?!) de que esses velhos e famosos feminicidas, com 80 e tantos anos, já estejam muito doentes.

Há um esforço para tentar voltar a 1974, ano em que a ditadura militar, aos olhos da sociedade que a apoiou, chegou a um "ponto ideal".

1974 fará "45 anos" no próximo ano, mas o tempo dificilmente permite uma fotocópia do antigo ano.

Além disso, os valores mudaram e os reaças de hoje apenas estão provisoriamente empoderados em seus atos abusivos.

Mas a coisa não é fácil: os bolsonaristas não puderam se manifestar pela vitória de seu ídolo na Universidade de Brasília. Estudantes que se opõem ao "mito" expulsaram os manifestantes do campus universitário.

Haverá suicídios de reputação. O valentão de hoje é o acovardado chorão de amanhã.

A mocinha que ameaçou Erika Janusa é apenas uma entre milhares de futuros traumatizados. Pessoas que achavam que podiam tudo nas redes sociais, mas que, no futuro, só andarão cabisbaixos nas ruas, na vida real.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESTUPRO COLETIVO DERRUBA MITO DA "LIBERDADE DO CORPO"

O vergonhoso caso do estupro coletivo desmascarou uma situação que a intelectualidade "bacana" sempre abafou com falso relativismo.

O mito da "liberdade do corpo" num país do combate ao assédio abusivo.

O terrível caso ocorreu num bairro popular, na região de Jacarepaguá.

33 homens afoitos cercando uma moça de 16 anos, dopando a menina, depois a estuprando sob o registro da câmera do celular e depois publicando na Internet.

Um episódio de pura truculência, mas condicionado pela ilusão de liberdade sexual que a intelectualidade "bacana", que apostava num Brasil brega, queria para as classes pobres.

Mesmo mulheres aparentemente ativistas, dentro dessa intelectualidade, davam dois pesos e duas medidas.

Elas reclamavam contra a imagem caricatural que as mulheres, de classe média, recebiam dos comerciais de TV.

Mas consentiam que a mesma imagem fosse impunemente abordada sob o rótulo do "popular".

Reclamavam quando a imagem da mulher de classe média…

GOVERNO TEMER E A REVOLTA DOS UMBIGOS

A "revolta dos umbigos" que surgiu nas mídias sociais achou que tinha o poder pleno nas mãos.

Lutaram para ter Michel Temer no lugar de Dilma Rousseff para realizar uma agenda mais conservadora para o Brasil.

Essa agenda é um misto do programa eleitoral derrotado de Aécio Neves em 2014 com as "pautas-bombas" do então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Primeiro, os "revoltados" na Internet se escondiam nas mídias sociais, se limitavam a trolar assuntos culturais ou coisa próxima e fingiam serem progressistas.

Depois, deixaram a máscara cair e iniciaram uma campanha para derrubar Dilma Rousseff.

Conseguiram o que fizeram, pois faziam parte de uma "frente ampla" às avessas, que clamavam por retrocessos políticos sob a desculpa do "combate à corrupção".

Estavam junto dos empresários em geral e, em parte, os que controlam a grande mídia.

Foram animadores juvenis de uma campanha que ludibriou a sociedade inteira, que passou …

CO-DIFUSOR DA GÍRIA "BALADA", TUTINHA É ACUSADO DE CRIMES FINANCEIROS

GOSTA DE ESTAR NA "BALADA"? AGRADEÇA, EM PARTE, A ESSE CARA, O TUTINHA.

Uma longa reportagem de Joaquim de Carvalho, do Diário do Centro do Mundo mostra um escândalo envolvendo o dono da Jovem Pan, Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o Tutinha.

Ele acabou desmentindo a acusação de que sua ex-mulher, Flávia Eluf, teria furtado bens do ex-casal após o divórcio, que havia sido difundida no Facebook, em julho de 2016.

A acusação se revelou falsa, e Tutinha e sua filha de outro casamento, Daniela, que apoiou o pai na acusação contra a madrasta, foram processados, por ação civil movida por Flávia, por danos morais.

Flávia também reagiu e recorreu ao Ministério Público Federal para lhe entregar um pen drive com as atividades financeiras do ex-marido, com quem esteve casada entre 2006 e 2015.

O pen drive contém acusações de crimes financeiros contra o empresário da Jovem Pan.

Segundo a denúncia, Tutinha seria acusado de evasão de divisas, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro …

A GAFE MUNDIAL DE GUILHERME FIÚZA

Há praticamente dez anos morreu Bussunda, um dos mais talentosos humoristas do país.

Mas seu biógrafo, Guilherme Fiúza, passou a atrair as gargalhadas que antes eram dadas ao falecido membro do Casseta & Planeta.

Fiúza é membro-fundador do Instituto Millenium, junto com Pedro Bial, Rodrigo Constantino, Gustavo Franco e companhia.

Gustavo Franco, com sua pinta de falso nerd (a turma do "cervejão-ão-ão" iria adorar), é uma espécie de "padrinho" de Guilherme Fiúza.

O valente Fiúza foi namorado da socialite Narcisa Tamborindeguy, que foi mulher de um empresário do grupo Gerdau, Caco Gerdau Johannpeter.

Não por acaso, o grupo Gerdau patrocina o Instituto Millenium.

Guilherme Fiúza escreveu um texto na sua coluna da revista Época em que lançou uma tese debiloide.

A de que o New York Times é um jornal patrocinado pelo PT.

Nossa, que imaginação possuem os reaças da nossa mídia, que põem seus cérebros a serviço de seus umbigos!

Imagine, um jornal bastante conhecido nos…

TV LINHAÇA - O QUE É O QUENUNCA?

Muitos ainda vão sabe desse novo tipo de pessoa que, sob o pretexto de se considerar imperfeito, faz apologia dos erros para continuar levando vantagens e privilégios na vida.

COMO SOBREVIVER NO BRASIL GOVERNADO POR JAIR BOLSONARO?

Está bem, Michel Temer completou o mandato, rindo do "Fora Temer" que não conseguiu tirá-lo do poder, e Jair Bolsonaro tornou-se presidente da República.

Agora, temos que encarar a situação com cabeça fria. Foi perdendo a cabeça que a oposição fez com que a ditadura militar decretasse o AI-5, há 50 anos.

Bolsonaro pretende eliminar o que ele entende como "doutrinação ideológica" nas escolas, que devem retomar as antigas relações hierárquicas entre professor e aluno.

Ele divulgou o novo salário mínimo, abaixo da expectativa. Em vez de R$ 1.006, R$ 998.

Na véspera da posse, ele anunciou ainda que vai decretar leis facilitando o porte de arma do cidadão comum "sem antecedentes criminais".

Isso causará uma espécie de holocausto a varejo. O Partido dos Trabalhadores já encomendou estudos para comprovar o desastre da medida e impedir sua regulamentação (ou desregulamentação, melhor dizendo, porque será o caos).

Jair Bolsonaro ainda falou da "libertação&qu…

PRAGMATISMO CARIOCA MATOU A MENINA AGATHA

A menina Agatha Félix, de apenas oito anos, é mais uma pessoa simpática, honesta e cheia de sonhos que se somou às vítimas da violência.

É mais uma pessoa realmente de bem que se soma aos centenas de assassinados pela violência de supostos tiroteios em ações policiais.

Segundo os familiares, não havia confronto entre PMs e criminosos. O motorista de uma kombi concordou com a declaração da família.

Os policiais teriam atirado a esmo, com as balas atingindo qualquer um que estivesse à frente.

E aí foi que Agatha, assim como outras crianças em outros casos, teve sua vida abreviada sem necessidade.

É menos uma criança, filha, amiga, estudante e cheia de projetos de vida, vários deles ainda guardados no seu inconsciente, por causa dessa violência sem fim.

Essa tragédia, na qual outras sete pessoas morreram com Agatha, em mais uma sessão de fuzilamento de pobres, só teve um detalhe que quebrou a rotina.

Agora esta é uma violência oficializada, institucionalizada pelo governador fluminense …

MINHA DECEPÇÃO COM MORRISSEY

Que o cantor Morrissey se reduziu nos últimos anos a um sósia do apresentador baiano populista Raimundo Varela, o que dá socos na mesa, vá lá.

Assim como, por outro lado, o também baiano Mário Kertèsz, quando era barbudo, parecia um sósia cafona do poeta e ativista beat Allen Ginsberg.

Mas ver Morrissey se transformando naquelas pessoas zangadas que se tornam reacionárias, é muito, muito triste.

Ele chegou a exaltar as jornadas de junho de 2013, que se revelaram uma farsa como a Operação Lava Jato, o que dava o sinal amarelo para minha antiga admiração a ele.

Mas aí ele foi longe demais. Numa apresentação no Moda Center de Portland, em Oregon, EUA, o ex-Smiths, ao ver um protesto contra o partido britânico For Britain, de extrema-direita, na plateia, resolveu gritar, de maneira antipática, enxotando os manifestantes.

"Go! Go! We don't need you" ("Fora daqui! Fora daqui! Não precisamos de vocês"), foi o que disse Morrissey para os fãs.

O PROTESTO QUE IRRITOU MOR…

ESQUERDISTAS MAIS JOVENS FORAM EDUCADOS PELA DITADURA MILITAR E PELA MÍDIA DERIVADA

HOJE BOLSONARISTA, MAS SEMPRE CONSERVADOR, SÍLVIO SANTOS FOI UM DOS ARTÍFICES DA BREGALIZAÇÃO CULTURAL QUE ENGANOU AS ESQUERDAS.

Na ressaca da campanha pelo dito "combate ao preconceito" da bregalização cultural, quando é hora de lavar a "roupa suja" dessa farra intelectualoide, o golpismo político mostrou que o sonho brega se resultou num pesadelo direitista.

Queriam combater o tal "preconceito", que atribuíam à rejeição da sociedade à cultura popularesca, e o que combateram, na verdade, foi o Ministério da Cultura, a Lei Rouanet e a imprensa alternativa impressa.

Passado o verão da "pobreza linda", toda a retórica pseudo-progressista se revelou um culturalismo conservador.

A "santíssima trindade" da intelectualidade "bacana", São Pedro, São Paulo e Santo Hermano (Pedro Alexandre Sanches, Paulo César de Araújo e Hermano Vianna), canonizados pelas redes sociais e pelas esquerdas ludibriadas, abriram o caminho para o golpe de …

SÍLVIO SANTOS, "MECENAS" DA BREGALIZAÇÃO, DÁ MAU EXEMPLO PARA A SOCIEDADE

O doce verão do "combate ao preconceito" da bregalização fez seus estragos.

Até hoje vemos esses efeitos, como a invasão do "pagodão" pós-Tchan no Teatro Gregório de Matos, a tal "Batalha do Pagode" que mostra o quanto ritmos comerciais tentam ocupar espaços que eram de tendências não-comerciais.

Hoje quem faz música não-comercial usa espaços subalternos. No Rock In Rio, o King Crimson, poderosa banda de rock progressivo de vanguarda, tocou em um palco subalterno.

Em outros tempos, a banda de Robert Fripp estaria no Palco Mundo, se valorizássemos os nomes da música pela música e não pela visibilidade obtida por factoides e outros artifícios.

Oe embuste do "combate ao preconceito" enganou muita gente e só fez encher dinheiro de ídolos popularescos, jogar o "funk" para o mainstream internacional e fazer acadêmicos e jornalistas culturais "de esquerda" receberem verbas de George Soros e Jorge Paulo Lemann.

A intelectualidade &q…