JUNTO À "PEQUE DO TETO", VENDA DO PRÉ-SAL EMPOBRECERÁ O BRASIL


Duas graves catástrofes são anunciadas pelo governo Michel Temer, com uma animação sádica e triunfalista.

Uma é a PEC 241, a "peque do Teto", que cortará gastos públicos, por mais que Temer e companhia tentem desmentir.

Afinal, só o fato de impor um "teto" de investimentos já vai reduzir gastos de forma devastadora.

O "teto" vai cortar empregos, sucatear hospitais e escolas e matar aposentados.

Isso porque os gastos públicos são de uma complexidade muito grande que requer aumentos imprevistos para permitir a amplitude de soluções e correção de imprevistos.

O "crescimento" que Temer quer com a retenção de dinheiro público é uma falácia.

É aquele papo do "Brasil ir bem e o povo ir mal" que a ditadura tanto adorava.

Para completar o "crescimento do país" sem que o povo seja beneficiado com isso, se tem a proposta de quebra do monopólio da Petrobras na exploração do pré-sal.

Tendo sido o legado do ministro temeroso das Relações Exteriores, José Serra, quando ainda era senador, o projeto de lei foi aprovado e já se prepara a entrega do petróleo aos estrangeiros.

Temer já está loteando as reservas de petróleo, não só o pré-sal, para ser vendida a empresas estrangeiras, mesmo aquelas escondidas em consórcios ou subsidiárias brasileiros.

Sabe o que isso significa?

Que toda a arrecadação que se tinha com as reservas de petróleo será mandada para o exterior.

Não haverá o uso de verbas para a Saúde, Educação e outros fins sociais.

O regime de partilha que possibilitava tais investimentos, com o lucro do petróleo, acabará.

Os estrangeiros só investirão o que o contexto do "mercado" permitir.

Quanto muito, em projetos assistenciais que só evitam a pobreza absoluta, mas quase nada transformam a sociedade, sendo uma "caridade" mais para ser adorada, que ajuda mais o filantropo do que os necessitados.

No mais, subúrbios, roças e sertões viverão a miséria de sempre.

Escolas sucateadas, hospitais sucateados, trabalhadores sem emprego, cada vez mais forçados a se contentar com salários maiores, no dilema perverso de optar entre ganhar menos e nada ganhar.

PEC 241, reforma trabalhista, reforma previdenciária, venda do petróleo a estrangeiros...

Perderemos as nossas riquezas, gastos públicos serão cortados.

O Brasil se empobrecerá e se vê mais mendigos e sem-teto nas ruas.

E as pessoas muito felizes diante do temeroso governo que, "pelo menos", não é do PT.

Lembra Renato Russo, há 20 anos ausente entre nós, na letra de "Que País é Este?": "Mas o Brasil vai ficar rico, vamos faturar um milhão, quando vendermos todas as almas dos índios num leilão".

Pausa para os animadinhos selfies dos "midiotas" no Facebook, pois hoje eles irão depois para as livrarias comprar mais um livro de bobagens do youtuber de terceira geração. Para eles, o Brasil temeroso é lindo.

Comentários