ROQUEIROS SE CONTENTARAM COM O HIT-PARADE


Boa parte da decadência da cultura rock no Brasil está na acomodação que vem desde os anos 90.

De repente, os roqueiros passaram a se contentar em ouvir só os "grandes sucessos".

Aceitam nomes comerciais que diluem tendências clássicas.

O poser metal, por exemplo, agora é visto, equivocadamente, como "rock clássico".

O roqueiro deixou de ser referência de algo admirável ou atraente.

Passou a ser ideologicamente conservador e culturalmente superficial.

Só quer saber de barulheira, espernear, fazer sinalzinho do capeta com a mão, botar a língua para fora.

Se julga fã das bandas de rock apenas por ouvir um ou dois sucessos, em muitos casos se entediando em ouvir aquilo que não é hit.

E, quando ouve punk rock, espera que as letras não sejam lá muito questionadoras do "sistema".

A desculpa é que "deve-se aproveitar positivamente o sistema" para se expressar.

Tudo bem, mas isso vai ao ponto da complacência e até mesmo da cumplicidade com o "sistema".

Desde os anos 90, a "década perdida" do Brasil, os roqueiros se acomodaram.

Os fãs de rock dessa linha pragmática-superficial se tornaram tão conservadores, tão caricatos, tão culturalmente precários e ideologicamente conservadores que só poderiam se transformar em uma coisa.

Em "sertanejos universitários".

Comentários